(¯`·._.· HELOÍSA ·._.·´¯)

Suas vivências: coerências e incoerências... sua viagem no Tempo presente, atravessando as pontes do passado.

Conterá Poesia, Prosa Poética e uma abordagem simplificada as diversas formas de ARTE.

Minha finalidade é aproveitar este *ESPAÇO* privilegiado, como veículo de comunicação,
para fazer isso mesmo: *COMUNICAÇÃO* e inter-acção entre quem escreve e quem lê e... vê:*VISITANTES DESTE ESPAÇO*

*PERDOEM A AUSÊNCIA DE ACENTOS*

(¯`·._) Escreva-me (¯`·._)

E-mail

(¯`·._) Meu banner (¯`·._)
Conversando com as Palavras
[ Código ]


(¯`·._) Amigos (¯`·._)

Conversando com as Palavras
ASHERA Concurso de Poesia 2008

Ora, vejamos...
Concurso de Poesia
@ Lulu.com
Contacto
ORA VEJAMOS
ALMA MINHA
137 A Base (inexata) da Ignorância
a Barca de Lyra
Afinidade Mily
Algo Tão Doce!
A Direccao do Voo MARIA DO CEU COSTA
Aqui Maria do Ceu Costa
Arde o Azul
A Procura de Cleopatra Marco Antonio
Ao Sabor da Aragem JMTleles da Silva
Art & Design de Isabel Filipe
Betanices BETANIA
Bodeguita
Branco e Preto I AMITA
Branco e preto
Canção de Outono
Cartas e Pensamentos
Casa de Contos
Ceu & Inferno_Larousse
Cidadão do Mundo
Conversas de Xaxa 4 PETER
E Deus Tornou-se Visível
Hora Absurda HENRIQUE
Encosta do Mar ANA
Entre Outras Mil
Et Alors
EternamenteMenina
Fabio Ulanin
From Within
Heloisa conversando com as palavras2
Holísticos
Hora Absurda II
Jornal Mil e Uma Notas
Letras Ao Acaso
Luz da Minha Alma
Oceano sem fim Antonio Soares
Ocasos
Ofeliazinha
Palavras de Algodao
pátria d'água
Pensamentos de Laura
Peter's
Poemas de Amor e Dor
Porto de Abrigo
Quem Tem Medo de Baby Jane
(re)Criando
Rodrigo Della Santina
Tem Poemas
Trilhas do Olhar
Velho da Montanha, O
Vagueando, Carlos
LAGOS (GELADOS) com ou sem CISNES...II,Valquielo Heloisa

*PARABENS MARIA AZENHA*
Word Land
Zadig

(¯`·._) Lembranças (¯`·._)



(¯`·._) Créditos (¯`·._)



This page is powered by Blogger. Isn't yours?

(¯`·._) quinta-feira, fevereiro 12, 2004 (¯`·._)


***SOLIDAO***

*POESIA* *AMIZADE*
E
__ Onde a POESIA, pode ser uma Ponte para a AMIZADE__
________________________________________________________


A SOLIDAO e' um mal (ou menos mal...) que ataca o Ser Humano, pelos mais diferentes motivos e, e', independente da idade ou condicao economico-social ,cultural ou religiosa, do individuo!

Dizem alguns especialistas e estudiosos do assunto (que pode levar a doenca), que este e' um mal dos tempos modernos! __Sera'? quica'!_.
Nao sou especialista(nem Psicologa ou, Sociologa, OU... qualquer outro!...), nao vou, por conseguinte, dissertar sobre o tema ou opinar! Apenas, reflectindo nele, chamar-Vos a reflexao! __Porem, reparem: se lermos atentamente ,alguns Poetas, Filosofos ou Escritores do passado, la,' esta' ELA: a SOLIDAO!!

E, recordei-me de um POETA (GRANDE!), de que gosto bastante e de quem regra geral, se fala muito menos e' Ele, ANTONIO NOBRE! Que hoje vos trago aqui "ligeira amostra", para vos abrir o apetite!__Aqueles que ainda nao o leram, nao deixem de o fazer. E, os que ja' o leram ha' muitos anos (meu caso), o voltem a reler e...mais devagar!...Meditando bem, no problema da SOLIDAO!

Ha' ainda, uma especie de Solidao, por, digamos: "escalas":_maior, menor, media e..."assim-assim"! E, pelos mais variados motivos!

Aqueles que me estao lendo,por certo, ja' vos aconteceu, estarem rodeados de uma multidao e... de repente, serem acometidos por uma especie de "soco" seco no estomago, ou uma apatia imensa... em que, so'vos apetece "evaporar" dali, para fora (especialmente, em festas, reunioes etc...), ou sumir, atraves de um repentino buraco que, salvadoramente, se abrisse no chao! _Eu, sou acometida, varias vezes, por essa sensacao, ou seja:_esse desejo de Solidao!

__Ha', tambem, a Solidao, que leva a Criatividade! Aquele desejo de interiorizacao, introspeccao ,que depois resulta em algo de belo, nas mais diversas formas:_Escrita, Pintura Escultura etc.
Porem, a OUTRA , aquela que DOI e ,nao tem remedio (ou...parece nao ter!), que e', "A Verdadeira Solidao": de total ausencia de Gente! De total ausencia de comunhao de Almas e, de Presenca de Corpos!!

E',A Solidao, daquela pessoa, que ja' atravessou a Vida rodeada de gente e, de cansacos ...e, que, se ve, na antecamara final da mesma*...e, absolutamente SO'! _Os filhos cresceram e partiram. O Companheiro/A de vida, ou... ja' deixou este Vale de Lagrimas, ou, os tramites da existencia, os apartaram e cada um enfrenta a Sua SOLIDAO a seu jeito! Enfim!...Sao inumeros os casos e os efeitos e, as causas, da DITA!!

Uma Solidao terrivel, e' tambem, aquela trazida pela doenca (nos hospitais ou fora deles), que afasta as pessoas dos seres queridos. E, cruelmente, existem algumas doencas, em que os outros Seres Humanos, se afastam ,rejeitando, repelindo, Aquele que adoeceu_nao vale a pena citar aqui os nomes de algumas dessas doencas; porque, todos as conhecemos!!!

__Entao, ha' SOLIDAO QUE MATA!!__E, MATA LENTAMENTE!!!__.

Cabe aqui, abordar o fenomeno da comunicacao, via Internet e, o seu grande impacto (pela positiva e pela negativa.). Muitos dos utilizadores, procuram o "calor humano" atraves da NET:_ e nem sempre, e' o caso, de ser uma pessoa Solitaria: por estar so'! Muitissimas vezes, essa Solidao e' de ALMA!__Esta'-se rodeado de um "mundo" de gente..mas a SOLIDAO e' atroz! Porque, nao ha' comunhao de ALMAS (adapta-se a Solteiros, casados, Viuvos, Divorciados: novos ou velhos!!!)..

__Quantas vezes, um SORRISO, meia hora de Boa conversacao, nao diminuiriam esse tipo de Solidao!!__...

Mas, a maioria de nos, anda muito apressado e, perdemos muito tempo ,a ohar para o proprio umbigo... e, esquecemo-nos, do "Vizinho do Lado, do Colega de Trabalho, ou simplesmente, da nossa Velha Avo'!!!

Este, e' um assunto que nao se esgota e, voltarei a Ele, brevemente!

Hoje, quero deixar-vos o desejo de lerem a Obra de ANTONIO NOBRE E, o Seu *SO'*!

Antonio Nobre, nasceu no Porto em 1867. Estudou Direito em Coimbra. Porem, por razoes varias, vem a Licenciar-se Em Paris em Ciencias Juridicas.
Faleceu muito jovem, em 1900 ,na Foz do Douro. A Sua Obra *SO'*, foi publicada em Paris em 1892.

ANTONIO NOBRE, contraiu Tuberculose, doenca terrivel na Epoca (e, nao so'!) e, que atirava ,qualquer que a sofresse ,para um terrivel sofrimento do corpo e da Alma _para uma imensa SOLIDAO!_.

Deixo-vos com pequenos "excertos" da Sua Obra:_*SO'*.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~

>Tisicos! Doidos! Nus! Velhos a ler a sina!
Etnas de carne! Jobes! Flores! Lazaros! Cristos!
Martires! Caes! Dalias de pus! Olhos-fechados!
Reumaticos! An?es! Deliriums-tremens! Quistos!
Monstros, fenomenos, aflitos, aleijados,
Talvez la dentro com perfeitos coracoes:
Todos, ? uma, mugem roucas ladainhas,
Tragicos, d uma, mugem roucas ladainhas,
Tragicos, uivam duma esmolinha plas alminhas
Das suas obrigacoes!?
Pelo nariz corre-lhes pus, gangrena, ranho!
E, coitadinhos! fedem tanto ? ? de arrasar...

Qu'e' dos Pintores do meu pais estranho,
Onde estao eles que nao me vem pintar?


Paris, 1891-1892.



SONETO

Meus dias de rapaz, de adolescente,
Abrem a boca a bocejar, sombrios:
Deslizam vagarosos, como os Rios,
Sucedem-se uns aos outros, igualmente.

Nunca desperto de manha, contente.
Palido sempre com os labios frios,
Ora, desfiando os meus rosarios pios...
Fora melhor dormir, eternamente!

Mas nao ter eu aspiracoes vivazes,
E nao ter como tem os mais rapazes,
Olhos boiados em sol, labio vermelho!

Quero viver, eu sinto-o, mas nao posso:
E nao sei, sendo assim enquanto moco,
O que serei, entao, depois de velho.


Belos Ares, 1889.




(LADAINHA)

Teu coracao dentro do meu descansa,
Teu coracao, desde que la entro:
E tem tao bom dormir essa crianca!
Deitou-se, ali caiu, ali ficou.

Dorme, menino! dorme, dorme, dorme!
O que te importa o que no mundo vai?
Ao acordares desse sono enorme,
Tu julgaras que se passou num ai.

Dorme, crianca! dorme sossegada
Teus sonhos brancos ainda por abrir:
Depois a morte nao te custa nada,
Porque a ela habituaste-te a dormir...

Dorme, meu anjo! (a noite e' tao comprida!)
Que doces sonhos tu nao has-de ter!
Depois, com o habito de os ter na vida,
Continuaras depois de falecer...

Dorme, meu filho! Cheio de sossego,
Esquece-te de tudo e ate' de mim!
Depois... de olhos fechados, es um cego,
Tu nada ves, meu filho! e antes assim...

Dorme os teus sonhos, dorme, e nao mos digas,
Dorme, filhinho, dorme faz o'...o'
Dorme, minha alma canta-te cantigas,
Que ela e' velhinha como a tua avo'!

Nenhuma ama tem um pequenino
Tao bom, tao meigo; que feliz eu sou!
E tem tao bom dormir esse menino...
Deitou-se, ali caiu, ali ficou.




Vou sobre o oceano (o luar, de doce, enleva!)
Por este mar de gloria, em plena paz.
Terras da Patria somem-se na treva
Aguas de Portugal ficam, atras.

Onde vou eu? Meu fado onde me leva?
Antonio, onde vais tu, doido rapaz?
Nao sei. Mas o vapor, quando se eleva,
Lembra o meu coracao, na ansia em que jaz.

? Lusitania que te vais ? vela!
Adeus! que eu parto (rezarei por ela)
Na minha Nau Catarineta, adeus!

Paquete, meu paquete, anda ligeiro,
Sobe depressa a gavea, marinheiro,
E grita, Franca! pelo amor de Deus!


Oceano Atlantico, 1890
************************************
*******************

LEIA E REFLICTA ,SOBRE A SOLIDAO! E, QUEM DESEJAR, DADOS MAIS ESPECIFICOS, CONSULTE ESTE EXCELENTE SITE:
*PROJECTO VERCIAL*

E, ADQUIRA O LIVRO_ QUEM ,NAO O POSSUA AINDA_!
--------------------------------

END; DE CONSULTA:__ http://www.ipn.pt/literatura/nobre.htm
--------------------------
----------***---------

Agora, onde a POESIA, PODE SER *PONTE PARA A AMIZADE*!...E, a *AMIZADE*, diminui, por vezes, drasticamente, a SOLIDAO!
---------***--------

__Mostro-vos aqui, um pouco da POESIA ,de um BOM AMIGO, que embora, ELA*, nao se inspire, ou nao "cante" apenas ,a SOLIDAO _mas, tambem, o Amor*, a Esperanca*, a Ternura*, etc...ELA** (Solidao), anda por la', implicita!

E, trago-vos este Amigo*, precisamente, porque foi a POESIA, a PONTE*, para a nossa AMIZADE* (que, nao sendo "intima", e' muito GRATIFICANTE)! _Ele, ZE' (sera' assim nomeado), e', uma pessoa, que eu, ADMIRO MUITO!!!!!!!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

***PALAVRAS DE INVERNO***
--------------------------------------

Era uma vez um Inverno gelado
Que enregelou as palavras
Mesmo na cabana dos livros...

quem me dera um sol jovem
As flores a espreitar
E os namorados a beijar...


As ruas claras
Os rios meigos
E os sorrisos abertos...

Era melhor esconder as luvas
No mais distante armario
E o frio embala'-lo...

Num caixote para Africa
Sem retorno
Para chatear o tempo...

Mas o que importa
Sao os desertos
E as criancas...

Os ventos
Que escrevem
Fogos...

As horas de ponta
As pontes que resistem
E os calores que dormem...

Era uma vez um Inverno igual
Uma palavra so'
Num livro frio...

Quem me dera calor
O teu coracao a bater
Um beijo a valer...

Uma mao de vento
Uma palavra levantada
Um sinal vermelho...

Era melhor saber-te deitar
Na cama mais escondida
E o cupido a guardar...

As palavras
Que as guitarras
Queimaram...

----------------------------------

*ZE'* em 18/12/03.
*********************






***CARTA ABERTA***
------------------------------


Pesada pena perdei
Rios carregados de estrelas
Desertos de Chumbo
Amarrados aos pes.

Palavras de silencio absoluto
Que batem
a porta
como se estivesse a fechar
Alguma lua de noite.

Amarga sentenca herdei
Num pergaminho envelhecido
pelos calores do latim
Assim, repentinamente.

E' como abrir um livro
E nada ler
Talvez as palavras
Tenham ido embora para ti.

Que fiques com todas
Com as que existem
E as que inventaras
Sei que as vais tratar bem.

Nao quero que te preocupes
Vou partir esmeraldas sozinho
Num mundo intemporal
Ou quem sabe, colher papoilas.

Um beijo

( No principio do Mundo, Dezembro de um ano que so' pode nao existir)

*ZE'* EM 27/12/03
******************
---------------------------------

(SEM PALAVRAS_MINHAS!)


***CONTRASTES***
---------------------------


Tenho um clarinete em casa
Vestido com um fato negro
E botoes de prata,
Insiste tocar toda a noite
Uma melodia parva.

Mesmo quando nao toca, sopra
Acende as luzes que apago.
Parecia tao inocente
que o levei para dentro
e dei-lhe um pouco de alma.

Ja' tentei vender o idiota,
Mas, com aquela cor parda
aquelas estrias por onde o vento passa
o sussurro daquela melodia
Nao encontro comprador.

Troco-o por um sonho
Uma melodia de mares
Um refugio de coral
Ou se pudesse,
Por um beijo teu.

Grave, toca, inchado.
e com indolor agudeza
Respira o humido da noite
E ri das estrelas desfiadas
Por aquela luz estranha.

Tenho um clarinete em casa
Em vez de uma vela acesa,
Uma mobilia ou, apenas um sofa'
Ou em mim uma mulher
que o clarinete toca...

*ZE'* EM OUT: 2003
**********************

E...E' ASSIM O MEU AMIGO ZE'!!
(Diz Ele, que nao e' POETA e, nem tem jeito para escrever!!!!!__FAZ-ME LEMBRAR UMA DOCE AMIGA __POETA__ que, afirma ,que nao sabe usar as palavras!!!???(ANA* O SEU NOME!)....

VOLTAREI AO ZE', porque, isto*, e' uma reduzida amostra, do seu talento Poetico!!

__OBRIGADA *ZE'*, POR ME DAR A HONRA DE ENRIQUECER ESTE MEU ESPACO, COM A SUA MARAVILHOSA POESIA!!


E...Para nos aquecer o coracao e, nos fazer meditar no AMOR, na AMIZADA e, na SOLIDAO...um pouco da POESIA, DA MINHA QUERIDA TERESA*!!

~~~~~~~~~~~~~~~~


*** VIVO***


Vivo assim
(sem saber se vivo)
num adiar constante
da solucao encontrada

Vivo assim
(sem saber se vivo),
num arrepiar continuo
o caminho percorrido

Vivo assim
(sem saber se vivo)
num retornar teimoso da inocencia perdida

Vivo assim
sem saber se Vivo.


-----------------------------*TERESA*
EM 27/01/04
********************


***TU***
___________________


Imagino-te
um rio
com coracao de areia
onde poiso
serena...
Enquanto tu corres
solto e inconsequentemente,
eu faco meu ninho
no teu coracao...

*TERESA* EM 27/01/03
************************

E...ficamos, assim, com um pouquito ,da Magia Poetica, da TERESA*****

UM ABRACO PARA SI* MINHA AMIGA*.
-----------------------------------------
---------------------------------------------MUITAS DESTAS PALAVRAS, DIZEM SOLIDAO! DIZEM PAIXAO!
TODAS DIZEM BELEZA ,DIZEM POESIA!!!
E, ELA*, A POESIA*, TROUXE A SIMPATIA... TROUXE A AMIZADE!!!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

UM POUCO DE MIM:
------------------------

***CORPO SEM ALMA***
---------------------------------


Nua e despida
Do corpo sem Alma
Gelada e Hirta
Num esgar
Em forma de sorriso.
Olho sem ver,
O Azul impreciso
Do Ceu Infinito
E...fico procurando, o meu lugar...

Zumbindo, em meu cerebro,
Este constante interrogar (?)

__PORQUE?__??

"O INFINITO" E' TAO BONITO!?
E...TAO INDEFINIDO...
E FRIO!???



Procuro,"revestir"
O meu corpo inerte
Com as folhas Verdes das Palmeiras
Que o SOL
Nao penetra
Nao aquece!...

E...fico na Esperanca
que o VERDE
E, A SEIVA DA VIDA
(circulante nas Arvores)
Me transmita
O seu "Soro"
Que anime meu "Corpo Azul"
_INANIMADO_,
E, o colorido
Em tom de Rosa
DA CARNE VIVA
_VIVA EM MIM_!

E...FACA ERGUER O MEU CORPO
E, ANINHAR NELE
A MINHA ALMA!!!

____________________________HELOISA EM 09/04/02
**********************

__________________________________VOLTAREI
AO TEMA SOLIDAO E, A POESIA* DOS MEUS AMIGOS*!
____________________________________
MAIS UMA VEZ, DEIXO AQUI ,O CONVITE, A QUEM SE QUEIRA MANIFESTAR, ESCREVENDO-ME, ACERCA DA *SOLIDAO*, A SEMELHANCA ,DO QUE JA', CONVIDEI, ACERCA DE OUTROS TEMAS!!!

-------------------------------------------------O MEU OBRIGADA A TODOS OS QUE ME LEREM!
AOS AMIGOS DE SEMPRE, O MEU LONGO ABRACO__A AMIZADE, E' INIMIGA DA SOLIDAO__!!
__HELOISA.


Escrito por Heloísa às 6:26:00 da tarde.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home