(¯`·._.· HELOÍSA ·._.·´¯)

Suas vivências: coerências e incoerências... sua viagem no Tempo presente, atravessando as pontes do passado.

Conterá Poesia, Prosa Poética e uma abordagem simplificada as diversas formas de ARTE.

Minha finalidade é aproveitar este *ESPAÇO* privilegiado, como veículo de comunicação,
para fazer isso mesmo: *COMUNICAÇÃO* e inter-acção entre quem escreve e quem lê e... vê:*VISITANTES DESTE ESPAÇO*

*PERDOEM A AUSÊNCIA DE ACENTOS*

(¯`·._) Escreva-me (¯`·._)

E-mail

(¯`·._) Meu banner (¯`·._)
Conversando com as Palavras
[ Código ]


(¯`·._) Amigos (¯`·._)

Conversando com as Palavras
ASHERA Concurso de Poesia 2008

Ora, vejamos...
Concurso de Poesia
@ Lulu.com
Contacto
ORA VEJAMOS
ALMA MINHA
137 A Base (inexata) da Ignorância
a Barca de Lyra
Afinidade Mily
Algo Tão Doce!
A Direccao do Voo MARIA DO CEU COSTA
Aqui Maria do Ceu Costa
Arde o Azul
A Procura de Cleopatra Marco Antonio
Ao Sabor da Aragem JMTleles da Silva
Art & Design de Isabel Filipe
Betanices BETANIA
Bodeguita
Branco e Preto I AMITA
Branco e preto
Canção de Outono
Cartas e Pensamentos
Casa de Contos
Ceu & Inferno_Larousse
Cidadão do Mundo
Conversas de Xaxa 4 PETER
E Deus Tornou-se Visível
Hora Absurda HENRIQUE
Encosta do Mar ANA
Entre Outras Mil
Et Alors
EternamenteMenina
Fabio Ulanin
From Within
Heloisa conversando com as palavras2
Holísticos
Hora Absurda II
Jornal Mil e Uma Notas
Letras Ao Acaso
Luz da Minha Alma
Oceano sem fim Antonio Soares
Ocasos
Ofeliazinha
Palavras de Algodao
pátria d'água
Pensamentos de Laura
Peter's
Poemas de Amor e Dor
Porto de Abrigo
Quem Tem Medo de Baby Jane
(re)Criando
Rodrigo Della Santina
Tem Poemas
Trilhas do Olhar
Velho da Montanha, O
Vagueando, Carlos
LAGOS (GELADOS) com ou sem CISNES...II,Valquielo Heloisa

*PARABENS MARIA AZENHA*
Word Land
Zadig

(¯`·._) Lembranças (¯`·._)



(¯`·._) Créditos (¯`·._)



This page is powered by Blogger. Isn't yours?

(¯`·._) sexta-feira, fevereiro 27, 2004 (¯`·._)


***FELICITACOES***

*** PARABENS A VOCE***
***************************

*MINHA QUERIDA AMIGA*
**********************

O QUE ME TRAZ HOJE AQUI EM ESPECIAL E' VOCE
***LAURA***
*******************

A QUEM AGRADECO O PRIVILEGIO DE LHE CHAMAR DE *AMIGA*.

__*HOJE, DIA 27 DE FEVEREIRO DE 2004*__,

E' DIA DE HOMENAGEA-LA, AINDA QUE, DE MODO SINGELO,
AQUI NESTE MEU HUMILDE ESPACO!
POREM, NAO PODIA DEIXAR PASSAR EM BRANCO ESTA FELIZ DATA DE SEU ***ANIVERSARIO**
*******************
(POR FAVOR, ME PERDOE ,A INCONFINDENCIA)

POREM, TAL COMO EU, MUITOS LHE QUEREM BEM!
E, FICARAO POR CERTO, FELIZES, DE A VER "FESTEJADA"!

__EU, GOSTARIA, DE POSTAR AQUI, UM LINDO E FULGURANTE RAMO DE ROSAS!...
CONTUDO, PENSO, QUE TODOS OS MEUS AMIGOS ,JA' SABEM DA MINHA AZELHICE...
EM TUDO, O QUE SE REFERE A UM COMPUTADOR!
POR ISSO, VOU BRINDA'-LA, COMO POSSO! E, PARA ALEM DE LHE ENVIAR UM ABRACO ENORMISSIMO E APERTADISSIMO....................
_APESAR DAS MILHAS QUE NOS SEPARAM, NAO OBSTAM, A QUE A NOSSA AMIZADE FLORESCA__!!

COMO TAL, MINHA DOCE AMIGA:

*PARABENS A VOCE*
NESTA DATA QUERIDA
MUITAS FELICIDADES E MUITOS ANOS DE VIDA!!

_HOJE E' DIA DE FESTA,
CANTAM AS NOSSAS ALMAS
PARA A *QUERIDA LAURA*
UMA SALVA DE PALMAS!!!!!
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
**************************
***************************
*****************************

E, AGORA, OS POEMAS QUE SELECCIONEI PARA SI*!
*********************************************

(MAIS TARDE, VOLTAREI A ESTES AUTORES, QUE AQUI VAO FICAR, PARA FALAR UM POUCO, ACERCA DE CADA UM!
POR ORA, FICAM SO' OS POEMAS, PARA AJUDAR A ENFEITAR SEU DIA E... NOITE!!!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


***He hum nao querer mais que bem querer.?
***Camoes***

(X)


Eu queria mais altas as estrelas,
Mais largo o espaco, o sol mais criador,
Mais refulgente a Lua, o mar maior,
Mais cavadas as ondas e mais belas;

Mais amplas, mais rasgadas as janelas
Das almas, mais rosas a abrir em flor,
Mais montanhas, mais asas de condor,
Mais sangue sobre a cruz das caravelas!

E abrir os bracos e viver a vida:
- Quanto mais funda e lugubre a descida,
Mais alta e' a ladeira que nao cansa!

E, acabada a tarefa... em paz, contente,
Um dia adormecer, serenamente,
Como dorme no berco uma crianca!



Florbela Espanca, Charneca em Flor (1930)
************************************


***Descalca vai pera a fonte***
***********************************


Descalca vai pera a fonte
Lianor pela verdura;
Vai fermosa, e nao segura.

Leva na cabeca o pote,
O testo nas maos de prata,
Cinta de fina escarlata,
Sainho de camalote;
Traz a vasquinha de cote,
Mais branca que a neve pura.
Vai fermosa, e nao segura.

Descobre a touca a garganta,
Cabelos de ouro entracado,
Fita de cor encarnado,
Tao linda que o mundo espanta.
Chove nela graca tanta,
Que da' graca a fermosura.
Vai fermosa, e nao segura.



Luis de Camoes
**********************


***Isto***
**********************


Dizem que finjo ou minto
Tudo o que escrevo. Nao.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginacao.
Nao uso o coracao.

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
E' como que um terraco
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa e' que e' linda.

Por isso escrevo em meio
Do que nao esta' ao pe',
Livre do meu enleio,
Serio do que nao e'.
Sentiro Sinta quem le!



Fernando Pessoa, Cancioneiro
**************************



***Mar***
***************


Mar, metade da minha alma e' feita de maresia
Pois e' pela mesma inquietacao e nostalgia,
Que ha' no vasto clamor da mare' cheia,
Que nunca nenhum bem me satisfez.
E e' porque as tuas ondas desfeitas pela areia
Mais fortes se levantam outra vez,
Que apos cada queda caminho para a vida,
Por uma nova ilusao entontecida.

E se vou dizendo aos astros o meu mal
E' porque tambem tu revoltado e teatral
Fazes soar a tua dor pelas alturas.
E se antes de tudo odeio e fujo
O que e' impuro, profano e sujo,
E' so' porque as tuas ondas sao puras.



Sophia de Mello Breyner Andresen, Poesia I

**************************************


***As pedras***
********************


As pedras falam a pois falam
mas nao a nossa maneira,
que todas as coisas sabem
uma historia que nao calam.

Debaixo dos nossos pes
ou dentro da nossa mao
o que pensar so de nos?
O que de nos pensarao?

As pedras cantam nos lagos
choram no meio da rua
tremem de frio e de medo
quando a noite e' fria e escura.

Riem nos muros ao sol,
no fundo do mar se esquecem.
Umas partem como aves
e nem mais tarde regressam.

Brilham quando a chuva cai.
Vestem-se de musgo verde
em casa velha ou em fonte
que saiba matar a sede.

Foi de duas pedras duras
que a faisca rebentou:
uma germinou em flor
e a outra nos ceus voou.

As pedras falam a pois falam.
So' as entende quem quer,
que todas as coisas tem
um coisa para dizer.



Maria Alberta Meneres, Conversas com versos
*************************************


***Balada da neve***
**********************


Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Sera' chuva? Sera' gente?
Gente nao e', certamente
e a chuva n?o bate assim.

E' talvez a ventania:
mas ha' pouco, ha' poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente,
com tao estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Nao e' chuva, nem e' gente,
nem e' vento com certeza.

Fui ver. A neve caia
do azul cinzento do ceu,
branca e leve, branca e fria...
- Ha' quanto tempo a nao via!
E que saudades, Deus meu!

Olho-a atraves da vidraca.
Pos tudo da cor do linho.
Passa gente e, quando passa,
os passos imprime e traca
na brancura do caminho...

Fico olhando esses sinais
da pobre gente que avanca,
e noto, por entre os mais,
os tracos miniaturais
duns pezitos de crianca...

E descalcinhos, doridos...
a neve deixa inda ve-los,
primeiro, bem definidos,
depois, em sulcos compridos,
porque nao podia ergue-los!...

Que quem ja' e' pecador
sofra tormentos, enfim!
Mas as criancas, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!...
Porque padecem assim?!...

E uma infinita tristeza,
uma funda turbacao
entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza
- e cai no meu coracao.



Augusto Gil, Luar de Janeiro
************************

__ SUPER MARAVILHOSO, ESTE POEMA! _POEMA DA MINHA INFANCIA_!
__FALAREI DEPOIS!_
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
**************************************************************


***Para ser grande, se inteiro: nada ***
***************************************


Para ser grande, se inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Se todo em cada coisa. Poe quanto es
No minimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.



Ricardo Reis, Odes
**********************************

AQUI FICAM, *MINHA QUERIDA*, ALGUNS, DE MUITOS *POEMAS*, QUE DESEJAVA, ENTRE OUTRAS COISAS, OFERECERE-LHE!

ASSIM, FICA EM PALAVRAS DE POETAS, *GRANDES POETAS*, AQUILO QUE EU NAO SEI DIZER!

__SEJA FELIZ:_ HOJE,* AMANHA*, E, EM CADA DIA* DA SUA VIDA*!
**********************************************************
*****************************************************

**********************
"ASSIM EM CADA LAGO A LUA TODA
BRILHA, PORQUE ALTA VIVE."
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
******************************

***Alta esta' a Estrela que te viu nascer
Brilhante e' o SOL, que te iluminou o DIA!***


Juntam-se os coros dos Anjos
E entoam a luz da Lua
Melodica Sinfonia!

E, todos os Astros
Correm velozes
Anunciadores de Prendas
Que os *Magos*
Trazem em seus Alforges!!

E, o cortejo das Fadas
Com seu sequito
A Trombetas Douradas
Se anunciam!!

E, Ali, Proclamam
E, todos Exclamam
Nascida e' uma MENINA!*

*LAURA* esse nome usara'!
E, os ventos soprarao
E, lhe anunciarao
Que seu TEMPO
De Ouro sera'!

A Vida lhe sorrira'!...
De Filhos rodeada e por todos Amada
O Caminho DELA Percorrera'!

FLores colhera'!
Petalas desfolharao em seus dias..
As Rosas a farao enrubescer
O Prazer percorrera' os seus caminhos!

Alguns "Espinhos", das BELAS ROSAS
Se prenderao em seus Vaporosos Vestidos...
Seus dedos se Picarao!...
Mas,"coisa:" Dor Menor!...
Porque, o BEM Maior, guarda ELA, no CORACAO!

E...quando o TEMPO
Em correria Veloz
Passar por Ela, tentando Derruba'-la,
as Fadas Profetizam,
Olhando nos seus olhos,
E, pondo as maos nos seus cabelos
_Brilhantes ,dos dourados, Raios de SOL_:
_Que nem o Mau TEMPO
Nem os maus Ventos ou Mares,
Vao impedi-la de Dancar a Luz das Estrelas...
Receber o Brilho calido do Luar...
E, assim ,dancando Ao ritmo do *Coro dos Querubins*
Colhendo no Edem, os Jasmins,
Cantara', todas as Estrofes, com todos os Versos,
QUE RIMAM COM O VERBO AMAR!!!

E...O TEMPO A PASSAR!...
E, ELA CONTINUARA' A CANTAR!..
CANCOES DE *AMOR* E... DE *AMAR*!!!!!!!!!!!!!!
******************************************
*******************************DE HELOISA B.P.
PARA *LAURA*
******************************27/02/04 LONDRES
(4:15 AM)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
(Atencao:_Os Poemas acima, foram recolhidos de um EXCELENTE SITE:_PORTO DE ABRIGO
END:_ http://www.terravista.ptPortoSanto/ )
__________________________________________________
_______________________________________________________







Escrito por Heloísa às 2:23:00 da manhã.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



(¯`·._) sexta-feira, fevereiro 20, 2004 (¯`·._)


***A FAMILIA***

*A AMIZADE NA FAMILIA E, A SOLIDAO*
--------------------------------------------------

Esta e' uma palavra que a TODOS diz respeito. Todos nos possuimos uma! Todos descendemos de uma!

A FAMILIA, tal como hoje a conhecemos, constitui-se de Pai, Mae, Filho(S). Mas, esta celula, por sua vez, ja' descende de OUTRA:_Pai + Mae=Filho(S):_Aparecem, entao, os AVOS_!

__A "ARVORE, COMECA A TOMAR FORMA_!

_Estes PAIS (agora Avos),tiveram por sua vez, naturalmente, Progenitores! E, estes Progenitores, tiveram provavelmente, mais do que um filho (mais que um filho da' origem aos IRMAOS!) _Eis-nos assim, chegados aos BISAVOS! E, Bisavos, pressupoe BISNETOS! _Que, poucos, nos dias de hoje, tem o privilegio de conhecer (TODOS OS BISAVOS (lado do Pai, Lado da Mae!)_... Bom, e neste andar para tras, no Tempo e na Historia, chegariamos aos Trisavos !E... por ai'... ate' se perder no fundo dos TEMPOS ,e, se perder a "Consaguinidade"!

_A partir dos IRMAOS, temos depois os Colaterais,e vamos assim obter uma infinidade de TIOS* (Parte do Pai, Parte da Mae:temos os primeiros e naturais TIOS/(AS) e, + os *Tios Avos* e, etc... etc....................
Que, evidentemente, darao origem aos SOBRINHOS!__Por fim, temos os PRIMOS, filhos da celula Familiar que cada um dos Tios ,formara' ou nao! Estes Primos, depois se-lo-ao em primeiro grau (la' para os meus lados, chamados de PRIMOS-IRMAOS!). Depois, temos os de segundo grau (filhos destes) os de terceiro e, por ai fora... ate', _parece-me nao tenho dado concretos,Cientificos_ (tenho de perguntar ao meu Amigo VITOR*, que, na certa, ELE, sabe todo o historial da FAMILIA desde *ADAO E EVA*!) _Como e' que eu, nao me lembrei de Lhe perguntar, antes de comecar aqui a "alinhavar" palavras, sobre o conceito de FAMILIA!??_... dizia eu, ate' ao quinto, ou setimo grau,; depois, perde-se a "consaguinidade"! (???)

__Ora bem! Tudo ISTO, todo este emaranhado, e' nada mais nada menos, que a nossa *ARVORE GENEALOGICA*_Ela, traz "Codigos", traz proveitos (beneficios e... por oposicao, tambem "prejuizos"!), traz Obrigacoes, e, traz "Devocoes"! E, quem tem numerosa Familia, pode considerar-se FELIZ (nem sempre!..)! Especialmente, se a Harmonia e a Tolerancia_numa palavra_ o AMOR/ AMIZADE_, presidir a estas Naturais e Priviligiadas Relacoes de Consanguinidde!

_A "face" oposta da "carta", nao e' tao risonha e optimista, como seria desejavel !E, pareceria condicao natural:_basta olhar os jornais e assistir as noticias dos diversos canais televisivos, onde se toma conhecimento das maiores atrocidades, que se cometem no seio familiar e, no "Sagrado Canto do LAR""_!

Mas, nao e' meu proposito, trazer aqui, esses casos "escabrosos", nem os menos "escabrosos", ou, os mais vulgares: de ciumezitos, invejazitas, e que tais imbecilidades ...de Almas "pequenininhas" e tacanhas!... Mas, sim, relacionar a Familia* com a AMIZADE e a SOLIDAO (ou, ausencia desta)!

__Um casal, com seus filhos_1, 2, 3 ou meia duzia_, antes do mais, e para alem do AMOR/ PAIXAO, necessitam, ser antes do mais, AMIGOS! _E, temos entao, a etapa seguinte, ou paralela: A AMIZADE, ou o trinomio AMOR/PAIXAO/AMIZADE _a Desejavel! A Suprema!...Mas, em 95% dos casos, a UTOPICA_!

__O AMOR/AMIZADE, resiste ao Tempo. Resiste as "Hecatombes" da Vida! E', quando temos os "TAIS" Casais*, que comemoram Bodas de Ouro, quando o CRIADOR* lhes alonga a permanencia, nest "Plano" (para citar meu Amigo VITOR*), neste "Vale de Lagrimas" e, ou, de Risos!
Mas, atencao:_eu refiro-me, as *Bodas de Prata e de Ouro*, e, em alguns casos,muito raros, de *Diamante*!..._mas, nao as do Calendario e da Sociedade (para "Ingles ver", como se diz na minha Terra!), mas sim, as BODAS DA VERDADE E, do REAL SENTIMENTO da FRATERNIDADE, da CUMPLICIDADE e INTER-AJUDA! Numa palavra:_AMOR/AMIZADE_algumas vezes, RARISSIMAS...:_***AMOR/PAIXAO/AMIZADE***!!
...................................

E, neste caso, nesta feliz situacao, os filhos, os netos, bisnetos, serao, por certo, Seres FELIZES, capazes de assimilarem e transmitirm *AMIZADE-FRATERNIDADE-SOLIDARIEDADE* e, fazer "Guerra" a SOLIDAO:_Aquela Solidao, que e' Ausencia de Corpos! Ausencia de Filhos! Ausencia de Pais! Ausencia de OMBRO! Ausencia de OUVIDOS! Ausencia de OLHOS e...de MAOS!!!.....................

E...OS VELHOS!?, OS DOENTES!?... Aqueles, que se vem privados dos membros da Sua Familia(Passada ou Presente), que se vem depositados em Hospitais, ou Lares (Casas e Repouso (??)) e, abandonados ao seu destino ...a sua "MA SORTE" (ou SINA)!...Tem ,necessariamente, de MORRER DE SOLIDAO__+A "TAL" QUE MATA+__!!..............

E, os "NAO VELHOS", NAO DOENTES, mas... que, por qualquer adversidade (culpa propria ou alheia), se vem tambem, privados desse Aconchego*, desse Carinho*, desse Bem*... que e' ter Pai, ter Mae, ter Avos, ter Tios, ter Primos....especialmente, quando este **TER-POSSUIR**, e' sinonimo de AFECTO :_de *AMOR/AMIZADE*_! Estes*, que nao possuem tal Realidade, tal Verdade Familiar e Afectiva,* necessariamente,* ESTES*, Sofrem de *SOLIDAO* misturada de profunda *REVOLTA* que os leva tantas e, tantas vezes, a seguir caminhos SEM VOLTA! E, quando isso nao acontece, por serem mais moderados, ou.. Bem Formados e, gerirem melhor essa Solidao, que resulta em Sofrimento *DOR* da Alma(DOR do Corpo... tantas vezes!) Que, pode ,*ELA*, significar Apatia, Desinteresse e..DESAMOR _POR INCAPACIDADE DE AMAR_!!!.................
...Em algumas situacoes mais Felizes, *ELA, a Solidao*, e' aproveitada;_tem uma "mais valia"! E, e' investida em *ARTE*_nas mais diversas formas: Poesia a Escultura! Ou, em DADIVA a Terceiros (sendo Missionarios, nas mais diversa MISSOES):_ na saude, na Educacao-Formacao e Cultura, bem como, no Lazer_!.......................
...................................................
__VOU, ENTAO, E NESTA SEQUENCIA, TRAZER-VOS, ALGUNS *POETAS* (seus POEMAS), que "Cantam" SOLIDAO, que sofreram (sofrem) SOLIDAO!...Nos seus mais diversos "Cambiantes"! _Mas, SENTEM, ao fundo do TUNEL... no mais Profundo de seus Espiritos, Suas ALMAS...tambem, A ESPERANCA*! A LUZ DA FE'**! PRELUDIO DO AMOR, de um grande AMOR*** que sentem pelo seu Semelhante (menos SEMELHANTE...), pela *MAE NATUREZA,* __PELA *VIDA*__!!!


--------*****-------


Porem, antes, de VOS deixar com alguns POETAS e SUA *DOR*... vou ,mais uma vez, socorrer-me do Dicionario ,para definir FAMILIA, Familiar, Familiaridade!
E..por fim, desejar a **TODOS VOS** Leitores e Amigos Queridos* que, se ,sofrerem de SOLIDAO, seja da BENIGNA_aquela que leva a *CRIACAO, que impele a *CRIATIVIDADE* e, OU, a SOLIDARIEDADE*, pela Entrega aos OUTROS*,Aqueles que Sofrem da MALIGNA SOLIDAO!....Minimizando-Lhes os Sofrimentos_DO CORPO E DA ALMA (quase sempre de dificil Cura, senao mesmo...INCURAVEL!)_!.........

__Para TODOS o meu Abraco Amigo__!

Contudo, me perdoem, mas... estes TEMAS, nao se esgotam aqui!_ Eu abordo-os, de uma forma "superficial", sem Analise! porque, Essa Analise, eu deixo para quem de Direito: Especialistas na Materia, EX:_ Psicologos, Sociologos, Psicanalistas e demais "OLOGOS" ou... "ISTAS"!!!!.........................

(RENOVO O CONVITE, A SEMELHANCA DOS ANTERIORES:_ QUEM DESEJAR EXPRESSAR-SE SOBRE ESTES TEMAS (SENTIMENTOS, EMOCOES, etc...) QUE ME ESCREVA _E-mail_ ou, "Comente" no espaco adequado! _Os mais pertinentes ou curiosos, Publicarei, neste meu modesto cantinho!).

~~~~~~~~~~~~~~

FAMILIA:_ 1.conjunto de pessoas aparentadas que vivem em comum sob o mesmo tecto; agregado familiar; 2.grupo de linhagem; estirpe; 3. raca;4. conjunto de pessoas do mesmo sangue ou parentes por alianca; 5. grupo de pessoas unidas pelo vinculo do casamento, afinidade ou adopcao; 6. grupo de pessoas com origem, ocupacao, ou caracteristicas em comum. e...etc...etc..que e' longo! Mas, aqui, esta' o essencial1

FAMILIAR:_1. que e' da familia; 2. caseiro; domestico; 3. habitual; comum; 4. que e' conhecido; 5. simples; 6. informal (isto nos adjectivos)
Agora temos os Substantivos (ou Nomes)_1. pessoa da familia; 2. AMIGO INTIMO 3. (raramente usado) criado (???) __POIS E' _CRIDADO! _FAMILIAR! _DE FACTO, ESTA' EM "DESUSO"!_. E, etc...

FAMILIARIDADE:_1. qualidade do que e' familiar; 2. intimidade; 3. confianca; 4. franqueza; 5. informalidade; ausencia de cerimonias; 6. convivencia. e... ficamos por aqui!

__OBRIGADA PELA PACIENCIA__
VOSSA:_HELOISA.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


**AGORA VAMOS A POESIA**
______________________________
*******************************


***FERNANDO PESSOA***
************************

***Poesias de
Alvaro de Campos***
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
--------------------------------------

(EXCERTO, DESTE POEMA)


PASSAGEM DAS HORAS
___________________________


Foram dados na minha boca os beijos de todos os encontros,
Acenaram no meu coracao os lencos de todas as despedidas,
Todos os chamamentos obscenos de gesto e olhares
Batem-me em cheio em todo o corpo com sede nos centros sexuais.
Fui todos os ascetas, todos os postos-de-parte, todos os como que esquecidos,
E todos os pederastas - absolutamente todos (nao faltou nenhum).
Rendez-vous a vermelho e negro no fundo-inferno da minha alma!

(Freddie, eu chamava-te Baby, porque tu eras louro, branco e eu amava-te,
Quantas imperatrizes por reinar e princesas destronadas tu foste para mim!)
Mary, com quem eu lia Burns em dias tristes como sentir-se viver,
Mary, mal tu sabes quantos casais honestos, quantas familias felizes,
Viveram em ti os meus olhos e o meu braco cingido e a minha consci?ncia incerta,
A sua vida pacata, as suas casas suburbanas com jardim,
Os seus half-holidays inesperados...
Mary, eu sou infeliz...
Freddie, eu sou infeliz...
Oh, vos todos, todos vos, casuais, demorados,
Quantas vezes tereis pensado em pensar em mim, sem que o fosseis,
Ah, que o pouco eu fui no que sois, que o pouco, que o pouco ?
Sim, e o que tenho eu sido, o meu subjetivo universo,
O meu sol, meu luar, minhas estrelas, meu momento,
A parte externa de mim perdida em labirintos de Deus!

Passa tudo, todas as coisas num desfile por mim dentro,
E todas as cidades do mundo, rumorejam-se dentro de mim ...
Meu coracao tribunal, meu coracao mercado,
Meu coracao sala da Bolsa, meu coracao balcao de Banco,
Meu coracao rendez-vous de toda a humanidade,
Meu coracao banco de jardim publico, hospedaria,
Estalagem, calabouco numero qualquer cousa
(Aqui estuvo el Manolo en vesperas de ir al patibulo)
Meu coracao clube, sala, plateia, capacho, guichet, portal?,
Ponte, cancela, excursao, marcha, viagem, leilao, feira, arraial,
Meu coracao postigo,
Meu coracao encomenda,
Meu coracao carta, bagagem, satisfacao, entrega,
Meu coracao a margem, o lirrite, a sumula, o indice,
Eh-la', eh-la', eh-la', bazar o meu coracao.

Todos os amantes beijaram-se na minh'alma,
Todos os vadios dormiram um momento em cima de mim,
Todos os desprezados encostaram-se um momento ao meu ombro,
Atravessaram a rua, ao meu braco, todos os velhos e os doentes,
E houve um segredo que me disseram todos os assassinos.

(Aquela cujo sorriso sugere a paz que eu nao tenho,
Em cujo baixar-de-olhos ha' uma paisagem da Holanda,
Com as cabecas femininas coiffaes de lin
E todo o esforco quotidiano de um povo pacifico e limpo...
Aquela que e o anel deixado em cima da comoda,
E a fita entalada com o fechar da gaveta,
Fita cor-de-rosa, nao gosto da cor mas da fita entalada,
Assim como nao gosto da vida, mas gosto de senti-la ...

Dormir como um cao corrido no caminho, ao sol,
Definitivamente para todo o resto do Universo,
E que os carros me passem por cima.)

Fui para a cama com todos os sentimentos,
Fui souteneur de todas as emocoes,
Pagaram-me bebidas todos os acasos das sensacoes,
Troquei olhares com todos os motivos de agir,
Estive mao em mao com todos os impulsos para partir,
Febre imensa das horas!
Angustia da forja das emocoes!
Raiva, espuma, a imensidao que nao cabe no meu lenco,
A cadela a uivar de noite,
O tanque da quinta a passear a roda da minha insonia,
O bosque como foi a tarde, quando la passeamos, a rosa,
A madeixa indiferente, o musgo, os pinheiros,
Toda a raiva de nao conter isto tudo, de nao deter isto tudo,
A fome abstrata das coisas, cio impotente dos momentos,
Orgia intelectual de sentir a vida!

Obter tudo por suficiencia divina e
As vesperas, os consentimentos, os avisos,
As cousas belas da vida e
O talento, a virtude, a impunidade,
A tendencia para acompanhar os outros a casa,
A situacao de passageiro,
A conveniencia em embarcar ja' para ter lugar,
E falta sempre uma coisa, um copo, uma brisa, urna frase,
E a vida dai quanto mais se goza e quanto mais se inventa.

Poder rir, rir, rir despejadamente,
Rir como um copo entornado,
Absolutamente doido so' por sentir,
Absolutamente roto por me rolar contra as coisas,
Ferido na boca por morder coisas,
Com as unhas em sangue por me agarrar a coisas,
E depois deem-me a cela que quiserem que eu me lembrarei da vida.

Sentir tudo de todas as maneiras,
Ter todas as opinioes,
Ser sincero contradizendo-se a cada minuto,
Desagradar a si proprio pela plena liberalidade de esp?rito,
E amar as coisas como Deus.

Eu, que sou mais irmao de uma arvore que de um operario,
Eu, que sinto mais a dor suposta do mar ao bater na praia
Que a dor real das criancas em quem batem
(Ah, como isto deve ser falso, pobres criancas em quem batem ?
E por que o que as minhas sensacoes se revezam tao depressa?)
Eu, enfim, que sou um dialogo continuo,
Um falar-alto incompreensivel, alta-noite na torre,
Quando os sinos oscilam vagamente sem que mao lhes toque
E faz pena saber que ha' vida que viver amanha.
Eu, enfim, literalmente eu,
E eu metaforicamente tambem,
Eu, o poeta sensacionista, enviado do Acaso
As leis irrepreensiveis da Vida,
Eu, o fumador de cigarros por profissao adequada,
O individuo que fuma opio, que toma absinto, mas que, enfim,
Prefere pensar em fumar opio a fuma'-lo
E acha mais seu olhar para o absinto a beber que bebe-lo...
Eu, este degenerado superior sem arquivos na alma,
Sem personalidade com valor declarado,
Eu, o investigador solene das coisas futeis,
Que era capaz de ir viver na Siberia so' por embirrar com isso,
E que acho que nao faz mal nao ligar importaricia a patria
Porqtie nao tenho raiz, como uma arvore, e portanto nao tenho raiz
Eu, que tantas vezes me sinto tao real como uma metafora,

Como uma frase escrita por um doente no livro da rapariga que encontrou no terraco,
Ou uma partida de xadrez no conves dum transatlantico,
Eu, a ama que empurra os perambulators em todos os jardins publicos,
Eu, o policia que a olha, parado para tras na alea,
Eu, a crianca no carro, que acena a sua inconsciencia lucida com um coral com guizos.
Eu, a paisagem por detras disto tudo, a paz citadina
Coada atraves das arvores do jardim publico,
Eu, o que os espera a todos em casa,
Eu, o que eles encontram na rua,
Eu, o que eles nao sabem de si proprios,
Eu, aquela coisa em que estas pensando e te marca esse sorriso,
Eu, o contraditorio, o ficticio, o aranzel, a espuma,
O cartaz posto agora, as ancas da francesa, o olhar do padre,
O largo onde se encontram as suas ruas e os chauffeurs dormem contra os carros,
A cicatriz do sargento mal encarado,
O sebo na gola do explicador doente que volta para casa,
A chavena que era por onde o pequenito que morreu bebia sempre,
E tem uma falha na asa (e tudo isto cabe num coracao de mae e enche-o)...
Eu, o ditado de frances da pequenita que mexe nas ligas,
Eu, os pes que se tocam por baixo do bridge sob o lustre,
Eu, a carta escondida, o calor do lenco, a sacada com a janela entreaberta,
O portao de servico onde a criada fala com os desejos do primo,
O sacana do Jos? que prometeu vir e nao veio
E a gente tinha uma partida para lhe fazer...
Eu, tudo isto, e alem disto o resto do mundo...
Tanta coisa, as portas que se abrem, e a razao por que elas se abrem,
E as coisas que ja' fizeram as maos que abrem as portas...
Eu, a infelicidade-nata de todas as expressoes,
A impossibilidade de exprimir todos os sentimentos,
Sem que haja uma lapida no cemiterio para o irmao de tudo isto,
E o que parece nao querer dizer nada sempre quer dizer qualquer cousa...

Sim, eu, o engenheiro naval que sou supersticioso como uma camponesa madrinha,
E uso monoculo para nao parecer igual a ideia real que faco de mim,
Que levo as vezes tres horas a vestir-me e nem por isso acho isso natural,
Mas acho-o metafisico e se me batem a porta zango-me,
Nao tanto por me interromperem a gravata como por ficar sabendo que ha' a vida...
Sim, enfim, eu o destinatario das cartas lacradas,
O bar das iniciais gastas,
A entonacao das vozes que nunca ouviremos mais -
Deus guarda isso tudo no Misterio, e as vezes sentimo-lo
E a vida pesa de repente e faz muito frio mais perto que o corpo.
A Brigida prima da minha tia,
O general em que elas falavam - general quando elas eram pequenas,
E a vida era guerra civil a todas as esquinas...
Vive le melodrame ou Margot a pleur?!
Caem as folhas secas no chao irregularmente,
Mas o fato e' que sempre e' outono no outono,
E o inverno vem depois fatalmente,
ha' so' um caminho para a vida, que e' a vida...

Esse velho insignificante, mas que ainda conheceu os romanticos,
Esse opusculo politico do tempo das revocoes constitucionais,
E a dor que tudo isso deixa, sem que se saiba a razao
Nem haja para chorar tudo mais razao que senti-lo.

Viro todos os dias todas as esquinas de todas as ruas,
E sempre que estou pensando numa coisa, estou pensando noutra.
Nao me subordino senao por atavisnio,
E ha' sempre razoes para emigrar para quem nao esta' de cama.

Das serrasses de todos os caf?s de todas as cidades
Acessiveis a imaginacao
Reparo para a vida que passa, sigo-a sem me mexer,
Pertenco-lhe sem tirar um gesto da algibeira,
Nem tomar nota do que vi para depois fingir que o vi.

No automovel amarelo a mulher definitiva de alguem passa,
Vou ao lado dela sem ela saber.
No trottoir imediato eles encontram-se por um acaso combinado,
Mas antes de o encontro deles la' estar ja' eu estava com eles la'.
Nao ha' maneira de se esquivarem a encontrar-me,
Nao ha' modo de eu nao estar em toda a parte.
O meu privilegio e' tudo
(Brevetie, Sans Garantie de Dieu, a minh'Alma).

Assisto a tudo e definitivamente.
Nao ha' joia para mulher que nao seja comprada por mim e para mim,
Nao ha' intencao de estar esperando que nao seja minha de qualquer maneira,
Nao ha' resultado de conversa que nao seja meu por acaso,
Nao ha' toque de sino em Lisboa ha' trinta anos, noite de S. Carlos ha' cinquenta
Que nao seja para mim por uma galantaria deposta.

Fui educado pela Imaginacao,
Viajei pela mao dela sempre,
Amei, odiei, falei, pensei sempre por isso,
E todos os dias tem essa janela por diante,
E todas as horas parecem minhas dessa maneira.

Cavalgada explosiva, explodida, como uma bomba que rebenta,
Cavalgada rebentando para todos os lados ao mesmo tempo,
Cavalgada por cima do espaco, salto por cima do tempo,
Galga, cavalo electron-ion, sistema solar resumido
Por dentro da aelo dos smbolos, por fora do giro dos volantes.
Dentro dos simbolos, tornado velocidade abstrata e louca,
Ajo a ferro e velocidade, vaivem, loucura, raiva contida,
Atado ao rasto de todos os volantes giro assombrosas horas,
E todo o universo range, estraleja e estropia-se em mim.

Ho-ho-ho-ho-ho!...
Cada vez mais depressa, cada vez mais com o esp?rito adiante do corpo
Adiante da propria ideia veloz do corpo projetado,
Com o espirito atras adiante do corpo, sombra, chispa,
He-la-ho-ho ... Helahoho ...

Toda a energia e' a mesma e toda a natureza e' o mesmo...
A seiva da seiva das arvores e' a mesma energia que mexe
As rodas da locomotiva, as rodas do eletrico, os volantes dos Diesel,
E um carro puxado a mulas ou a gasolina e' puxado pela mesma coisa.

Raiva panteista de sentir em mim formidandamente,
Com todos os meus sentidos em ebulicao, com todos os meus poros em fumo,
Que tudo e' uma so' velocidade, uma so' energia, uma so' divina linha
De si para si, parada a ciciar violencias de velocidade louca...
Ho ----

Ave, salve, viva a unidade veloz de tudo!
Ave, salve, viva a igualdade de tudo em seta!
Ave, salve, viva a grande maquina universo!
Ave, que sois o mesmo, arvores, maquinas, leis!
Ave, que sois o mesmo, vermes, embolos, ideias abstratas,
A mesma seiva vos enche, a mesma seiva vos torna,
A mesma coisa sois, e o resto e' por fora e falso,
O resto, o estatico resto que fica nos olhos que param,
Mas nao nos meus nervos motor de explosao a oleos pesados ou leves,
Nao nos meus nervos todas as maquinas, todos os sistemas de engrenagem,
Nos meus nervos locomotiva, carro eletrico, automovel, debulhadora a vapor

Nos meus nervos maquina maritima, Diesel, semi-Diesel,
Campbell, Nos meus nervos instalacao absoluta a vapor, a gas, a oleo e a eletricidade,
Maquina universal movida por correias de todos os momentos!

Todas as madrugadas sao a madrugada e a vida.
Todas as auroras raiam no mesmo lugar:
Infinito...
Todas as alegrias de ave vem da mesma garganta,
Todos os estremecimentos de folhas sao da mesma arvore,
E todos os que se levantam cedo para ir trabalhar
Vao da mesma casa para a mesma fabrica por o mesmo caminho...

Rola, bola grande, formigueiro de consci?ncias, terra,
Rola, auroreada, entardecida, a prumo sob sois, noturna,
Rola no espaco abstrato, na noite mal iluminada realmente
Rola ...

Sinto na minha cabeca a velocidade de giro da terra,
E todos os paises e todas as pessoas giram dentro de mim,
Centrifuga ansia, raiva de ir por os ares ate' aos astros
Bate pancadas de encontro ao interior do meu cranio,
Poe-me alfinetes vendados por toda a consciencia do meu corpo,
Faz-me levantar-me mil vezes e dirigir-me para Abstrato,
Para inencontravel, Ali sem restricoes nenhumas,
A Meta invisivel e' todos os pontos onde eu nao estou a e ao mesmo tempo ...

Ah, nao estar parado nem a andar,
Nao estar deitado nem de pe',
Nem acordado nem a dormir,
Nem aqui nem noutro ponto qualquer,
Resol,,,er a equacao desta inquietacao prolixa,
Saber onde estar para poder estar em toda a parte,
Saber onde deitar-me para estar passeando por todas as ruas ...

Ho-ho-ho-ho-ho-ho-ho

Cavalgada alada de mim por cima de todas as coisas,
Cavalgada estalada de mim por baixo de todas as coisas,
Cavalgada alada e estalada de mim por causa de todas as coisas ...

Hup-la por cima das arvores, hup-la por baixo dos tanques,
Hup-la contra as paredes, hup-la raspando nos troncos,
Hup-la no ar, hup-la no vento, hup-la, hup-la nas praias,
Numa velocidade crescente, insistente, violenta,
Hup-la hup-la hup-la hup-la ...

Cavalgada panteista de mim por dentro de todas as coisas,
Cavalgada energetica por dentro de todas as energias,
Cavalgada de mim por dentro do carvao que se queima, da lampada que arde,
Clarim claro da manha ao fundo
Do semicirculo frio do horizonte,
Tenue clarim longinquo como bandeiras incertas
Desfraldadas para alem de onde as cores sao visiveis ...

Clarim tremulo, poeira parada, onde a noite cessa,
Poeira de ouro parada no fundo da visibilidade ...

Carro que chia limpidamente, vapor que apita,
Guindaste que comeca a girar no meu ouvido,
Tosse seca, nova do que sai de casa,
Leve arrepio matutino na alegria de viver,
Gargalhada subita velada pela bruma exterior nao sei como,
Costureira fadada para pior que a manha que sente,
Operario tisico desfeito para feliz nesta hora
Inevitavelmente vital,
Em que o relevo das coisas e' suave, certo e simpatico,
Em que os muros sao frescos ao contacto da mao, e as casas
Abrem aqui; e ali os olhos cortinados a branco...

Toda a madrugada e' uma colina que oscila,
...................................................................
... e caminha tudo

Para a hora cheia de luz em que as lojas baixam as palpebras
E rumor trafego carroca comboio eu sinto sol estruge

Vertigem do meio-dia emoldurada a vertigens e'
Sol dos vertices e nos... da minha visao estriada,
Do rodopio parado da minha retentiva seca,
Do abrumado clarao fixo da minha consciencia de viver.

Rumor trafego carroca comboio carros eu sinto sol rua,
Aros caixotes trolley loja rua i,itrines saia olhos
Rapidamente calhas carrocas caixotes rua atravessar rua
Passeio lojistas "perdao" rua
Rua a passear por mim a passear pela rua por mim
Tudo espelhos as lojas de ca' dentro das lojas de la'
A velocidade dos carros ao contrario nos espelhos obliquos das montras,
O chao no ar o sol por baixo dos pes rua regas flores no cesto rua
O meu passado rua estremece camion rua nao me recordo rua

Eu de cabeca pra baixo no centro da minha consciencia de mim
Rua sem poder encontrar uma sensacao so' de cada vez rua
Rua pra tras e pra diante debaixo dos meus pes
Rua em X em Y em Z por dentro dos meus bracos
Rua pelo meu monoculo em circulos de cinematografo pequeno,
Caleidoscopio em curvas iriadas nitidas rua.
Bebedeira da rua e de sentir ver ouvir tudo ao mesmo tempo.
Bater das fontes de estar vindo para ca' ao mesmo tempo que vou para la'.
Comboio parte-te de encontro ao resguardo da linha de desvio!
Vapor navega direito ao cais e racha-te contra ele!
Automovel guiado pela loucura de todo o universo precipita-te
Por todos os precipicios abaixo
E choca-te, trz!, esfrangalha-te no fundo do meu coracao!

E moi, todos os objetos projeteis!
E moi, todos os objetos directes!
E moi, todos os objetos invisiveis de velozes!
Batam-me, trespassem-me, ultrapassem-me!
Sou eu que me bato, que me trespasso, que me ultrapasso!
A raiva de todos os impetos fecha em circulo-mim!

Hela-hoho comboio, automovel, aeroplano minhas ansias,
Velocidade entra por todas as ideias dentro,
Choca de encontro a todos os sonhos e parte-os,
Chamusca todos os ideais humanitarios e uteis,
Atropela todos os sentimentos normais, decentes, concordantes,
Colhe no giro do teu volante vertiginoso e pesado
Os corpos de todas as filosofias, os tropos de todos os poemas,
Esfrangalha-os e fica so' tu, volante abstrato nos ares,
Senhor supremo da hora europeia, metalico a cio.
Vamos, que a cavalgada nao tenha fim nem em Deus!
...............................................................
...............................................................
...............................................................
...............................................................

Doi-me a imaginacao nao sei como, mas e' ela que doi,
Declina dentro de mim o sol no alto do ceu.
Comeca a tender a entardecer no azul e nos meus nervos.
Vamos a cavalgada, quem mais me consegues tornar?
Eu que, veloz, voraz, comilao da energia abstrata,
Queria comer, beber, esfolar e arranhar o mundo,
Eu, que so' me contentaria com calcar o universo aos pes,
Calcar, calcar, calcar ate' nao sentir.
Eu, sinto que ficou fora do que imaginei tudo o que quis,
Que embora eu quisesse tudo, tudo me faltou.

Cavalgada desmantelada por cima de todos os cimos,
Cavalgada desarticulada por baixo de todos os poros,
Cavalgada voo, cavalgada seta, cavalgada pensamento-relampago,
Cavalgada eu, cavalgada eu, cavalgada o universo e eu.
Helahoho-o-o-o-o-o-o-o ...

Meu ser elastico, mola, agulha, trepidacao ...


Alvaro de Campos, 22-5-1916
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

(COMENTARIOS!?...PARA QUE???)

_QUE DESEJAR LER MAIS E, NAO TENHA IMEDIATO ACESSO A SUA OBRA INTEGRAL, CONSULTE ESTE MAGNIFICO SITE* SOBRE FERNANDO PESSOA!

http://www.vidaslusofonas.pt/fernandopessoa.htm
______________________________________________


***Poemas de
Alberto Caeiro***
*****************
----------------------------
________________________



Pouco me importa.
Pouco me importa o que? Nao sei: pouco me importa.

Alberto Caeiro, 24-10-1917
*********************************
E...
MAIS ESTE! (Se eu pudesse... transcrevia-os TODOS!).
_______________________________________

----***---

Se eu morrer novo,
sem poder publicar livro nenhum
Sem ver a cara que tem os meus versos em letra impressa,
Peco que, se se quiserem ralar por minha causa,
Que nao se ralem.
Se assim aconteceu, assim esta' certo.

Mesmo que os meus versos nunca sejam impressos,
Eles la' terao a sua beleza, se forem belos.
Mas eles nao podem ser belos e ficar por imprimir,
Porque as raizes podem estar debaixo da terra
Mas as flores florescem ao ar livre e a vista.
Tem que ser assim por forca. Nada o pode impedir.

Se eu morrer muito novo, oicam isto:
Nunca fui senao uma crianca que brincava.
Fui gentio como o sol e a agua,
De uma religiao universal que so' os homens nao tem.
Fui feliz porque nao pedi cousa nenhuma,
Nem procurei achar nada,
Nem achei que houvesse mais explicacao
Que a palavra explicacao nao ter sentido nenhum.


Nao desejei senao estar ao sol ou a chuva -
Ao sol quando havia sol
E a chuva quando estava chovendo
(E nunca a outra cousa),
Sentir calor e frio e vento,
E nao ir mais longe.

Uma vez amei, julguei que me amariam,
Mas nao fui amado.
Nao fui amado pela unica grande razao -
Porque nao tinha que ser.

Consolei-me voltando ao sol e a chuva,
E sentando-me outra vez a porta de casa.
Os campos, afinal, nao sao tao verdes para os que sao amados
Como para os que o nao sao.
Sentir e' estar distraido.


Alberto Caeiro, 7-11-1915
__________________________________
**********************************

E..."SENTIR E' ESTAR DISTRAIDO".

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


POREM... DISTRAIR A DOR*
QUANDO A PALAVRA E' AMOR!(?)...

DISTRAIR O VENTO*
QUANDO A PALAVRA E' SOFRIMENTO!...

DISTRAIR A CHUVA*
QUANDO A PALAVRA E' ANGUSTIA!...

DISTRAIR A EMOCAO*
QUANDO A PALAVRA E' SOLIDAO!

E', COMO DISTRAIR A VIDA*
QUANDO A PALAVRA E' MORTE*...SEM *ELA*
SER CUMPRIDA*!!!
################################HELOISA.
EM 20/02/04: Londres (7:10PM).
****************************
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


***FLORBELA ESPANCA***
************************


***POBRE DE CRISTO***
_______________________
*************************

O' minha terra na planicie rasa,
Branca de sol e cal e de luar,
Minha terra que nunca viste o mar,
Onde tenho o meu pao e a minha casa.


Minha terra de tardes sem uma asa,
Sem um bater de folhas... a dormitar...
Meu anel de rubis a flamejar,
Minha terra moirisca a arder em brasa!


Minha terra onde meu irmao nasceu
Aonde a mae que eu tive e que morreu
Foi moca e loira, amou e foi amada!


Truz... Truz... Truz...__Eu nao tenho onde
[ me acoite,
Sou um pobre de longe, e' quase noite,
Terra, quero dormir, da'-me pousada!...

____________________________________
~~~~~~LIVRO DA~~~~~~~~~~~~~~~~~
***CHARNECA EM FLOR***_1930_.
*************************************

------------------------ANGUSTIA E SOLIDAO!----
( Ausencia de FAMILIA! Ausencia de AFECTO!).
---------------------------------------------------------------_H._
____________________________________________________

***EM VAO***
__________________________
**************************

Passo triste na vida e triste sou,
Um pobre a quem jamais quiseram bem!
Um caminhante exausto que passou,
Que nao diz onde vai nem donde vem.


Ah! Sem piedade, a rir, tanto desdem
a flor da minha boca desdenhou!
Solitario convento onde ninguem
A silenciosa cela procurou!


E eu quero bem a toda a gente...
Ando a amar assim, perdidamente,
A acalentar o mundo nos meus bracos!


E tem passado, em vao, a mocidade
Sem que no meu caminho uma saudade
Abra em flores a sombra dos meus passos!


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~DE *RELIQUIAE*~~
VERSOS POSTUMOS
PUBLICADOS PELA PRIMEIRA VEZ CO A 2. EDICAO de
*CHARNECA EM FLOR*
EM 1931.
***************************************




***JOSE REGIO***
_______________________

Nasce em Vila do Conde _Portugal_, em 1901.
Seu nome completo: Jose' Maria dos Reis Pereira Regio.

Faz os estudos Liceais no Porto e aos 18 anos vai para Coimbra, onde se Licenciara' em *Filologia Romanica*.

Comeca, depois, por leccionar no Porto. Mas, em seguida, instala-se em PORTALEGRE (ALTO ALENTEJO), onde permanece por mais de 30 anos.

Regressa a Sua Terra Natal em 1967 e, vem a falecer, dois anos mais tarde ,em 1969.

A SUA OBRA e' vasta e diversificada!_Oportunamente, falarei mais DELE e SUA OBRA, dado que, e' tambem, um dos meus Autores Favoritos e, a que me ligam, outro tipo de sentimentos! Porque, nao sendo Ele um Alentejano, por nascimento, O e', por Coracao!

ELE, faz um excelente estudo critico sobre a Obra de Florbela Espanca:_ como todos sabemos, uma *Linda e Inspirada Alentejana*, do Distrito de Evora _Vila Vicosa_ e, Jose' Regio, vive e ama, o meu Distrito _Portalegre_! Dai', a minha afectividade, para alem,da admiracao pelo GRANDE HOMEM DAS LETRAS QUE ELE FOI (E'!)!....................

__FIQUEMOS, para abrir o "Apetite" com:


***CANTICO NEGRO***
*************************************

.............................................................



"Vem por aqui" - dizem-me alguns com olhos doces,

Estendendo-me os bracos, e seguros

De que seria bom que eu os ouvisse

Quando me dizem: "vem por aqui!"

Eu olho os com olhos lassos,

(Ha' nos meus olhos ironias e cansacos)

E cruzo os bracos,

E nunca vou por ali...



A minha gloria e' esta:

Criar desumanidade!

Nao acompanhar ninguem.

- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade

Com que rasguei o ventre a minha Mae.



Nao, nao vou por ai'! So' vou por onde

Me levam meus proprios passos...



Se ao que busco saber nenhum de vos responde,

Porque me repetis: "Vem por aqui"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,

Redemoinhar aos ventos,

Como farrapos, arrastar os pes sangrentos,

A ir por ai'...



Se vim ao mundo, foi

So' para desflorar florestas virgens,

E desenhar meus proprios pes na areia inexplorada!

O mais que faco nao vale nada.



Como, pois, sereis vos

Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem

Para eu derrubar os meus obstaculos?

Corre nas vossas veias sangue velho dos avos.

E vos amais o que e' facil!

Eu amo o Longe e a Miragem,

Amo os abismos, as torrentes, os desertos...



Ide! Tendes estradas,

Tendes jardins, tendes canteiros,

Tendes patrias, tendes tectos,

E tendes regras, e tratados, e filosofos, e sabios.

Eu tenho a minha Loucura!

Levanto-a como um facho, a arder na noite escura,

E sinto espuma, e sangue, e canticos nos labios...



Deus e o Diabo ? que me guiam, mais ninguem.

Todos tiveram pai, todos tiveram mae;

Mas eu, que nunca principio nem acabo,

Nasci do amor que ha' entre Deus e o Diabo.



Ah, que ninguem me de piedosas intencoes!

Ninguem me peca definicoes!

Ninguem me diga: "vem por aqui"!

A minha vida e' um vendaval que se soltou.

E' uma onda que se alevantou.

E' um atomo a mais que se animou...

Nao sei por onde vou,

Nao sei para onde vou,

- Sei que nao vou por ai'?!

***************************
*******************************"SEI QUE NAO VOU POR AI'!***
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

(E, HA' COMENTARIO POSSIVEL!??_NAO TENHO!
SO' TENHO LAGRIMAS! PRESAS NA GARGANTA...
ARDENDO NOS MEUS OLHOS!)~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~MINHA HUMILDE HOMENAGEM POETICA!
____________________________________________________________




~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

* UM POUCO DE MIM*
_____________________________
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


***SEI QUE NAO VOU POR AI'***
_________________________________


Quantas vezes, atraves dos meus dias
(longos dias...)
Nao repeti
Nao escrevi
Esta mesma frase:
_Em forma de frase
Em jeito de verso_!

Quantas vezes, com este sentido
Ou, com sentido diverso,
Eu, nao gritei(na VOZ)
Eu, nao gritei(na ALMA):

__NAO SEI QUEM SOU!
__NAO SEI PARA ONDE VOU!
__NAO SEI POR ONDE VOU....
...MAS, SEI QUE NAO VOU POR AI'!__...

__Aqui estou,
Anos volvidos
Dias e dias esquecidos
_de nao vividos_...
Sentindo
Gritando
(BERRANDO!)
Escrevendo
Reescrevendo
As mesmas PALAVRAS
As mesmas FRASES
Os mesmos Versos...

_COM ESTE SENTIDO
OU...COM SENTIDO DIVERSO_!(?)........
.................................................

Mas...o mesmo Grito
A mesma Dor
A mesma sensacao de DESAMOR!

O mesmo rumo Perdido
O mesmo rumo (des)Encontrado
O mesmo sinal de Alarme
O mesmo DESCALABRO!

...E...ME, DIGO E REPITO
EM GRITO MUDO
DESPIDO DE SENTIDO:

__NAO SEI QUEM SOU!
__NAO SEI ONDE ESTOU!
__NAO SEI PARA ONDE VOU!
NAO SEI POR ONDE VOU...
MAS, SEI, DE CERTEZA "CERTA", QUE NAO VOU POR AI'*!!!
..................................................................................

E...e' nesta sensacao de Bussula Perdida
De "Estrela Polar" (Estrela do Norte) Escondida
P'las cinzentas_violaceas,
Nuvens
Dos Ceus do Infinito...
Que estrangulo
Na garganta o meu Grito:

__NAO VOU POR AI'!

__QUERO IR POR AQUI!

__QUERO IR POR ALI...
QUERO, IR, PARA AI'*__!


Porem, quero, todos os Pontos Cardeais
Nao assinalados, em Mapas Reais...

E, QUERO IR PELA TUA MAO
QUERO QUE ME CHAMES! ME LEVES!
ME ABRACES!
ME APERTES!
_BEM ANINHADA_, BEM JUNTO AO TEU CORACAO!!...

__QUERO OUVIR O SOM*
QUE QUEBRE O SILENCIO*
(O Gelo da Ausencia)
E...me PECA
E, me DIGA,
ME IMPLORE:
__VEM POR AQUI__!

...PORQUE, NESSE CONTEXTO,
TEREI O PRETEXTO,
DE RESPONDER:

__SIM!!__EU SEI! QUE EU, QUERO, IR POR AI'*!!!!!!!!!!!!!!!!!!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~HELOISA B.P.
Escrito em 06/11/03
em Londres.
*********************

__INSPIRADO EM JOSE REGIO, PRESTANDO-LHE ASSIM HUMILDE HOMENAGEM.
(Escrito em altura de grande LUTA INTERIOR!)
----------------------------------------------------
A TODOS* O MEU OBRIGADA* E O MEU ABRACO AMIGO* _H._
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
######################################


Escrito por Heloísa às 3:50:00 da tarde.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



(¯`·._) quinta-feira, fevereiro 12, 2004 (¯`·._)


***SOLIDAO***

*POESIA* *AMIZADE*
E
__ Onde a POESIA, pode ser uma Ponte para a AMIZADE__
________________________________________________________


A SOLIDAO e' um mal (ou menos mal...) que ataca o Ser Humano, pelos mais diferentes motivos e, e', independente da idade ou condicao economico-social ,cultural ou religiosa, do individuo!

Dizem alguns especialistas e estudiosos do assunto (que pode levar a doenca), que este e' um mal dos tempos modernos! __Sera'? quica'!_.
Nao sou especialista(nem Psicologa ou, Sociologa, OU... qualquer outro!...), nao vou, por conseguinte, dissertar sobre o tema ou opinar! Apenas, reflectindo nele, chamar-Vos a reflexao! __Porem, reparem: se lermos atentamente ,alguns Poetas, Filosofos ou Escritores do passado, la,' esta' ELA: a SOLIDAO!!

E, recordei-me de um POETA (GRANDE!), de que gosto bastante e de quem regra geral, se fala muito menos e' Ele, ANTONIO NOBRE! Que hoje vos trago aqui "ligeira amostra", para vos abrir o apetite!__Aqueles que ainda nao o leram, nao deixem de o fazer. E, os que ja' o leram ha' muitos anos (meu caso), o voltem a reler e...mais devagar!...Meditando bem, no problema da SOLIDAO!

Ha' ainda, uma especie de Solidao, por, digamos: "escalas":_maior, menor, media e..."assim-assim"! E, pelos mais variados motivos!

Aqueles que me estao lendo,por certo, ja' vos aconteceu, estarem rodeados de uma multidao e... de repente, serem acometidos por uma especie de "soco" seco no estomago, ou uma apatia imensa... em que, so'vos apetece "evaporar" dali, para fora (especialmente, em festas, reunioes etc...), ou sumir, atraves de um repentino buraco que, salvadoramente, se abrisse no chao! _Eu, sou acometida, varias vezes, por essa sensacao, ou seja:_esse desejo de Solidao!

__Ha', tambem, a Solidao, que leva a Criatividade! Aquele desejo de interiorizacao, introspeccao ,que depois resulta em algo de belo, nas mais diversas formas:_Escrita, Pintura Escultura etc.
Porem, a OUTRA , aquela que DOI e ,nao tem remedio (ou...parece nao ter!), que e', "A Verdadeira Solidao": de total ausencia de Gente! De total ausencia de comunhao de Almas e, de Presenca de Corpos!!

E',A Solidao, daquela pessoa, que ja' atravessou a Vida rodeada de gente e, de cansacos ...e, que, se ve, na antecamara final da mesma*...e, absolutamente SO'! _Os filhos cresceram e partiram. O Companheiro/A de vida, ou... ja' deixou este Vale de Lagrimas, ou, os tramites da existencia, os apartaram e cada um enfrenta a Sua SOLIDAO a seu jeito! Enfim!...Sao inumeros os casos e os efeitos e, as causas, da DITA!!

Uma Solidao terrivel, e' tambem, aquela trazida pela doenca (nos hospitais ou fora deles), que afasta as pessoas dos seres queridos. E, cruelmente, existem algumas doencas, em que os outros Seres Humanos, se afastam ,rejeitando, repelindo, Aquele que adoeceu_nao vale a pena citar aqui os nomes de algumas dessas doencas; porque, todos as conhecemos!!!

__Entao, ha' SOLIDAO QUE MATA!!__E, MATA LENTAMENTE!!!__.

Cabe aqui, abordar o fenomeno da comunicacao, via Internet e, o seu grande impacto (pela positiva e pela negativa.). Muitos dos utilizadores, procuram o "calor humano" atraves da NET:_ e nem sempre, e' o caso, de ser uma pessoa Solitaria: por estar so'! Muitissimas vezes, essa Solidao e' de ALMA!__Esta'-se rodeado de um "mundo" de gente..mas a SOLIDAO e' atroz! Porque, nao ha' comunhao de ALMAS (adapta-se a Solteiros, casados, Viuvos, Divorciados: novos ou velhos!!!)..

__Quantas vezes, um SORRISO, meia hora de Boa conversacao, nao diminuiriam esse tipo de Solidao!!__...

Mas, a maioria de nos, anda muito apressado e, perdemos muito tempo ,a ohar para o proprio umbigo... e, esquecemo-nos, do "Vizinho do Lado, do Colega de Trabalho, ou simplesmente, da nossa Velha Avo'!!!

Este, e' um assunto que nao se esgota e, voltarei a Ele, brevemente!

Hoje, quero deixar-vos o desejo de lerem a Obra de ANTONIO NOBRE E, o Seu *SO'*!

Antonio Nobre, nasceu no Porto em 1867. Estudou Direito em Coimbra. Porem, por razoes varias, vem a Licenciar-se Em Paris em Ciencias Juridicas.
Faleceu muito jovem, em 1900 ,na Foz do Douro. A Sua Obra *SO'*, foi publicada em Paris em 1892.

ANTONIO NOBRE, contraiu Tuberculose, doenca terrivel na Epoca (e, nao so'!) e, que atirava ,qualquer que a sofresse ,para um terrivel sofrimento do corpo e da Alma _para uma imensa SOLIDAO!_.

Deixo-vos com pequenos "excertos" da Sua Obra:_*SO'*.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~

>Tisicos! Doidos! Nus! Velhos a ler a sina!
Etnas de carne! Jobes! Flores! Lazaros! Cristos!
Martires! Caes! Dalias de pus! Olhos-fechados!
Reumaticos! An?es! Deliriums-tremens! Quistos!
Monstros, fenomenos, aflitos, aleijados,
Talvez la dentro com perfeitos coracoes:
Todos, ? uma, mugem roucas ladainhas,
Tragicos, d uma, mugem roucas ladainhas,
Tragicos, uivam duma esmolinha plas alminhas
Das suas obrigacoes!?
Pelo nariz corre-lhes pus, gangrena, ranho!
E, coitadinhos! fedem tanto ? ? de arrasar...

Qu'e' dos Pintores do meu pais estranho,
Onde estao eles que nao me vem pintar?


Paris, 1891-1892.



SONETO

Meus dias de rapaz, de adolescente,
Abrem a boca a bocejar, sombrios:
Deslizam vagarosos, como os Rios,
Sucedem-se uns aos outros, igualmente.

Nunca desperto de manha, contente.
Palido sempre com os labios frios,
Ora, desfiando os meus rosarios pios...
Fora melhor dormir, eternamente!

Mas nao ter eu aspiracoes vivazes,
E nao ter como tem os mais rapazes,
Olhos boiados em sol, labio vermelho!

Quero viver, eu sinto-o, mas nao posso:
E nao sei, sendo assim enquanto moco,
O que serei, entao, depois de velho.


Belos Ares, 1889.




(LADAINHA)

Teu coracao dentro do meu descansa,
Teu coracao, desde que la entro:
E tem tao bom dormir essa crianca!
Deitou-se, ali caiu, ali ficou.

Dorme, menino! dorme, dorme, dorme!
O que te importa o que no mundo vai?
Ao acordares desse sono enorme,
Tu julgaras que se passou num ai.

Dorme, crianca! dorme sossegada
Teus sonhos brancos ainda por abrir:
Depois a morte nao te custa nada,
Porque a ela habituaste-te a dormir...

Dorme, meu anjo! (a noite e' tao comprida!)
Que doces sonhos tu nao has-de ter!
Depois, com o habito de os ter na vida,
Continuaras depois de falecer...

Dorme, meu filho! Cheio de sossego,
Esquece-te de tudo e ate' de mim!
Depois... de olhos fechados, es um cego,
Tu nada ves, meu filho! e antes assim...

Dorme os teus sonhos, dorme, e nao mos digas,
Dorme, filhinho, dorme faz o'...o'
Dorme, minha alma canta-te cantigas,
Que ela e' velhinha como a tua avo'!

Nenhuma ama tem um pequenino
Tao bom, tao meigo; que feliz eu sou!
E tem tao bom dormir esse menino...
Deitou-se, ali caiu, ali ficou.




Vou sobre o oceano (o luar, de doce, enleva!)
Por este mar de gloria, em plena paz.
Terras da Patria somem-se na treva
Aguas de Portugal ficam, atras.

Onde vou eu? Meu fado onde me leva?
Antonio, onde vais tu, doido rapaz?
Nao sei. Mas o vapor, quando se eleva,
Lembra o meu coracao, na ansia em que jaz.

? Lusitania que te vais ? vela!
Adeus! que eu parto (rezarei por ela)
Na minha Nau Catarineta, adeus!

Paquete, meu paquete, anda ligeiro,
Sobe depressa a gavea, marinheiro,
E grita, Franca! pelo amor de Deus!


Oceano Atlantico, 1890
************************************
*******************

LEIA E REFLICTA ,SOBRE A SOLIDAO! E, QUEM DESEJAR, DADOS MAIS ESPECIFICOS, CONSULTE ESTE EXCELENTE SITE:
*PROJECTO VERCIAL*

E, ADQUIRA O LIVRO_ QUEM ,NAO O POSSUA AINDA_!
--------------------------------

END; DE CONSULTA:__ http://www.ipn.pt/literatura/nobre.htm
--------------------------
----------***---------

Agora, onde a POESIA, PODE SER *PONTE PARA A AMIZADE*!...E, a *AMIZADE*, diminui, por vezes, drasticamente, a SOLIDAO!
---------***--------

__Mostro-vos aqui, um pouco da POESIA ,de um BOM AMIGO, que embora, ELA*, nao se inspire, ou nao "cante" apenas ,a SOLIDAO _mas, tambem, o Amor*, a Esperanca*, a Ternura*, etc...ELA** (Solidao), anda por la', implicita!

E, trago-vos este Amigo*, precisamente, porque foi a POESIA, a PONTE*, para a nossa AMIZADE* (que, nao sendo "intima", e' muito GRATIFICANTE)! _Ele, ZE' (sera' assim nomeado), e', uma pessoa, que eu, ADMIRO MUITO!!!!!!!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

***PALAVRAS DE INVERNO***
--------------------------------------

Era uma vez um Inverno gelado
Que enregelou as palavras
Mesmo na cabana dos livros...

quem me dera um sol jovem
As flores a espreitar
E os namorados a beijar...


As ruas claras
Os rios meigos
E os sorrisos abertos...

Era melhor esconder as luvas
No mais distante armario
E o frio embala'-lo...

Num caixote para Africa
Sem retorno
Para chatear o tempo...

Mas o que importa
Sao os desertos
E as criancas...

Os ventos
Que escrevem
Fogos...

As horas de ponta
As pontes que resistem
E os calores que dormem...

Era uma vez um Inverno igual
Uma palavra so'
Num livro frio...

Quem me dera calor
O teu coracao a bater
Um beijo a valer...

Uma mao de vento
Uma palavra levantada
Um sinal vermelho...

Era melhor saber-te deitar
Na cama mais escondida
E o cupido a guardar...

As palavras
Que as guitarras
Queimaram...

----------------------------------

*ZE'* em 18/12/03.
*********************






***CARTA ABERTA***
------------------------------


Pesada pena perdei
Rios carregados de estrelas
Desertos de Chumbo
Amarrados aos pes.

Palavras de silencio absoluto
Que batem
a porta
como se estivesse a fechar
Alguma lua de noite.

Amarga sentenca herdei
Num pergaminho envelhecido
pelos calores do latim
Assim, repentinamente.

E' como abrir um livro
E nada ler
Talvez as palavras
Tenham ido embora para ti.

Que fiques com todas
Com as que existem
E as que inventaras
Sei que as vais tratar bem.

Nao quero que te preocupes
Vou partir esmeraldas sozinho
Num mundo intemporal
Ou quem sabe, colher papoilas.

Um beijo

( No principio do Mundo, Dezembro de um ano que so' pode nao existir)

*ZE'* EM 27/12/03
******************
---------------------------------

(SEM PALAVRAS_MINHAS!)


***CONTRASTES***
---------------------------


Tenho um clarinete em casa
Vestido com um fato negro
E botoes de prata,
Insiste tocar toda a noite
Uma melodia parva.

Mesmo quando nao toca, sopra
Acende as luzes que apago.
Parecia tao inocente
que o levei para dentro
e dei-lhe um pouco de alma.

Ja' tentei vender o idiota,
Mas, com aquela cor parda
aquelas estrias por onde o vento passa
o sussurro daquela melodia
Nao encontro comprador.

Troco-o por um sonho
Uma melodia de mares
Um refugio de coral
Ou se pudesse,
Por um beijo teu.

Grave, toca, inchado.
e com indolor agudeza
Respira o humido da noite
E ri das estrelas desfiadas
Por aquela luz estranha.

Tenho um clarinete em casa
Em vez de uma vela acesa,
Uma mobilia ou, apenas um sofa'
Ou em mim uma mulher
que o clarinete toca...

*ZE'* EM OUT: 2003
**********************

E...E' ASSIM O MEU AMIGO ZE'!!
(Diz Ele, que nao e' POETA e, nem tem jeito para escrever!!!!!__FAZ-ME LEMBRAR UMA DOCE AMIGA __POETA__ que, afirma ,que nao sabe usar as palavras!!!???(ANA* O SEU NOME!)....

VOLTAREI AO ZE', porque, isto*, e' uma reduzida amostra, do seu talento Poetico!!

__OBRIGADA *ZE'*, POR ME DAR A HONRA DE ENRIQUECER ESTE MEU ESPACO, COM A SUA MARAVILHOSA POESIA!!


E...Para nos aquecer o coracao e, nos fazer meditar no AMOR, na AMIZADA e, na SOLIDAO...um pouco da POESIA, DA MINHA QUERIDA TERESA*!!

~~~~~~~~~~~~~~~~


*** VIVO***


Vivo assim
(sem saber se vivo)
num adiar constante
da solucao encontrada

Vivo assim
(sem saber se vivo),
num arrepiar continuo
o caminho percorrido

Vivo assim
(sem saber se vivo)
num retornar teimoso da inocencia perdida

Vivo assim
sem saber se Vivo.


-----------------------------*TERESA*
EM 27/01/04
********************


***TU***
___________________


Imagino-te
um rio
com coracao de areia
onde poiso
serena...
Enquanto tu corres
solto e inconsequentemente,
eu faco meu ninho
no teu coracao...

*TERESA* EM 27/01/03
************************

E...ficamos, assim, com um pouquito ,da Magia Poetica, da TERESA*****

UM ABRACO PARA SI* MINHA AMIGA*.
-----------------------------------------
---------------------------------------------MUITAS DESTAS PALAVRAS, DIZEM SOLIDAO! DIZEM PAIXAO!
TODAS DIZEM BELEZA ,DIZEM POESIA!!!
E, ELA*, A POESIA*, TROUXE A SIMPATIA... TROUXE A AMIZADE!!!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

UM POUCO DE MIM:
------------------------

***CORPO SEM ALMA***
---------------------------------


Nua e despida
Do corpo sem Alma
Gelada e Hirta
Num esgar
Em forma de sorriso.
Olho sem ver,
O Azul impreciso
Do Ceu Infinito
E...fico procurando, o meu lugar...

Zumbindo, em meu cerebro,
Este constante interrogar (?)

__PORQUE?__??

"O INFINITO" E' TAO BONITO!?
E...TAO INDEFINIDO...
E FRIO!???



Procuro,"revestir"
O meu corpo inerte
Com as folhas Verdes das Palmeiras
Que o SOL
Nao penetra
Nao aquece!...

E...fico na Esperanca
que o VERDE
E, A SEIVA DA VIDA
(circulante nas Arvores)
Me transmita
O seu "Soro"
Que anime meu "Corpo Azul"
_INANIMADO_,
E, o colorido
Em tom de Rosa
DA CARNE VIVA
_VIVA EM MIM_!

E...FACA ERGUER O MEU CORPO
E, ANINHAR NELE
A MINHA ALMA!!!

____________________________HELOISA EM 09/04/02
**********************

__________________________________VOLTAREI
AO TEMA SOLIDAO E, A POESIA* DOS MEUS AMIGOS*!
____________________________________
MAIS UMA VEZ, DEIXO AQUI ,O CONVITE, A QUEM SE QUEIRA MANIFESTAR, ESCREVENDO-ME, ACERCA DA *SOLIDAO*, A SEMELHANCA ,DO QUE JA', CONVIDEI, ACERCA DE OUTROS TEMAS!!!

-------------------------------------------------O MEU OBRIGADA A TODOS OS QUE ME LEREM!
AOS AMIGOS DE SEMPRE, O MEU LONGO ABRACO__A AMIZADE, E' INIMIGA DA SOLIDAO__!!
__HELOISA.


Escrito por Heloísa às 6:26:00 da tarde.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



(¯`·._) domingo, fevereiro 08, 2004 (¯`·._)


***PALAVRAS SOLTAS PALAVRAS EM DESALINHO***

*PALAVRAS DISPERSAS AO VENTO*
----------------------------------------------------

PALAVRAS QUE TANTAS VEZES USAMOS E ABUSAMOS ESQUECENDO OU DETURPANDO O SEU VERDADEIRO SIGNIFICADO! SENDO QUE UMA DELAS (ou duas) E,' EXACTAMENTE:_ AMOR/PAIXAO*

Quantos de nos, nao utilizamos estas e outras expressoes, um tanto levianamente e, fora do contexto!
Vem, isto a proposito, duma reflexao que eu fiz e, faco, acerca de um pensamento e "um + cientifico conhecimento", que um grande Amigo meu, faz e me explana detalhadamente, numa maravilhosa carta que me escreve (como o sao, todas as que tenho a honra e o prazer de receber dele), e, eu achei-a curiosa para vos deixar aqui e , eventualmente, possam os meus leitores e Amigos, reflectir acerca e fazerem vossos proprios juizos!... Terem vossas proprias teorias, mais ou menos cientificas!!__E, aqueles que o desejarem, comentem aqui, no espaco proprio, e deixem vossos pensamentos,opinioes, acerca deste texto e desta "Materia" :_AMOR/PAIXAO_ a qual, foi ja,' por mim aflorada dias atras!

Eu, confesso, quando li esta carta ,do meu Amigo VITOR*, eu delirei!_passei do sorriso, ao riso aberto e, assim me mantive, ate' ao fim da leitura!!!__Claro, que, eu tenho o Afecto por Ele! Por isso, as suas palavras me encantam mais!...Mas, achei interessante trazer aqui, para que tao brilhante "explanacao" sobre materia ,que a todos interessa (todos somos personagens activas neste "drama" da *Comedia da Vida*), e, tambem para ver, saber, a vossa reaccao!!!

__Naturalmente, eu extrai' dessa missiva, so' os paragrafos pertinentes para a compreensao da ideia e conceito expresso, salvaguardando, a privacidade inerente a ambos!!!__E, tenho dele a permissao!__
...Mas, antes de partir para o texto, propriamente dito, vou mais uma vez, socorrer-me do Dicionario para ver o que ele nos diz acerca destes tao "famosos" vocabulos!! TEMOS ENTAO O SEGUINTE:_

__AMOR:_1.sentimento que predispoe a desejar o bem de alguem; 2. sentimento de afecto ou extrema dedicacao; apego;3. sentimento que nos impele para o objecto dos nossos desejos; atraccao; paixao; 4. afecto; inclinacao; 5. relacao amorosa; aventura; 6. objecto da afeicao; 7. adoracao; veneracao; devocao; e...etc...etc... por ai' fora que a lista ainda e' extensa e nunca mais saimos daqui!
__AGORA VAMOS A OUTRA:

__PAIXAO:_ 1.RELIGIAO martirio que precedeu a morte de Cristo;
2. RELIGIAO parte do Evangelho onde se descreve o martirio de Cristo; 3. MUSICA composicao musical cujo motivo e' o martirio de Cristo; __Bem! Depois temos a Semana da "..mas, daquela tao decantada PAIXAO, nada mais consta dos meus "alfarrabios"!...Claro, que, este meu Dicionario, tambem e' pobrezito, coitado (como a dona)...mas daquela Paixao* vulcanica ardente... de altas labaredas e, que segundo o meu querido Amigo, e' de curta duracao...A PAIXAO dos Poetas dos Escritores e outros similares...e, aquela, que em qualquer altura da vida, nos atormenta o coracao e a existencia__E..TAMBEM, NOS DELICIA E TRANSPORTA ATE' AS PORTAS DO OLIMPO!_...Dessa... por aqui, nao consta!.. E, quando muito, encontramos por ca', uma "paixoneta"!!!__ORA...VAMOS A ELA!!!

__PAIXONETA:_ inclinacao amorosa passageira e pouco intensa (De paixao+eta):_la' tem o VITOR* razao, quanto a durabilidade da mesma (mas esta..e' a "eta"...).

__Posto isto: VAMOS ENTAO AO TEXTO EXTRAORDINARIO DO MEU ADORAVEL AMIGO VITOR*

--------""--------


"...O Amor/Paixao ja' foi alvo de investigacoes por parte de biologos, antropologistas, psicologos, sociologos, assim como, por todas as "Ologias". Imagine que ate' ja' conseguiram determinar as alteracoes hormonais e fisiologicas presentes nos estados apaixonados.
Ha' efectivamente uma sintese aumentada de hormonas, mas cujo pico de concentracao serica so' dura no maximo 6 meses. Ao fim desse tempo, a quimica corporal normaliza e estabiliza, o que nao quer dizer que nao continue a haver atraccao mutua. No fundo, o tempo necessario, para que o macho e a femea, apos o encontro inicial, se conhecam, adquiram confianca nas suas capacidades procriadoras mutuas e... deem origem ao "Crescei e Multiplicai-vos".
Normalmente as reticncias iniciais sao postas pela femea, que se quer assegurar de que encontrou o macho suficientemente satisfatorio. E isto acontece com mais variacao, menos variacao temporal, com todos os mamiferos.
A esta hora ja' deve estar arrepiada com a maneira como eu abordo o tema, mas a Ciencia nao antropocentrica, descobriu que o Homem ( especie), embora dotado duma capacidade de projeccao no abstracto, que os outros animais nao possuem, nao passa dum Animal, embora seja o Bruto dos brutos, o real e verdadeiro animal de presa, o unico super-predador do Planeta.
Todos esses impulsos a que me referi anteriormente, estao registados no nosso Cerebro Reptilineo, uma estrutura neuronial do nosso Encefalo, que esta' presente em nos, desde antes do cerebro humano, tal como o conhecemos. E' dai' que provem todos os impulsos atavicos e seus comportamentos, pois aquilo a que chamamos civilizacao e' um facto muitissimo recente na nossa Historia colectiva.
Ainda bem que o delicioso atavismo reprodutor nao se extinguiu em nos, senao a vida seria uma sensaboria e nos ja' nao seriamos o Homo sapiens sapiens, mas qualquer outra especie assexuada. Provavelmente cindir-nos-iamos como as amebas. Infelizmente, ha' por ai' muita avis rarae, que penso que aparecem neste Mundo, atraves desse metodo de multiplicacao biologica.
Segundo alguns sociologos, a Paixao dura o tempo suficiente, para que o par que se vai reproduzir, forme o par e assuma o compromisso. E' verdade, Nos seres Humanos, temos naquilo a que eu chamo a nossa vntagem competitiva (inteligencia) , tambem o nosso maior fraco.
Somos a especie animal mamifera e terrestre, com maior esperanca de duracao de vida. (Alguns mamiferos subaquaticos, embora sem certezas, pensa-se que viverao mais tempo).
A nossa inteligencia e' proveniente dum cerebro volumoso e pesado (cerca de 1500gr), constituido essencialmente por proteinas e, precisamente, por ser tao volumoso e pesado, e' que os nossos descendentes, sao os que mais tempo estao dependentes dos progenitores, para alcancarem a capacidade de sobrevivencia autonoma e isso exige pares de progenitores, cujo estado de Paixao dure pelo menos 6 meses, para garantir a continuidade do impulso reprodutor.
Mas mais importante, depois da reproducao, e' o compromisso, que os envolve durante pelo menos 13 a 14 anos. E' que antes desse tempo, o animal Homem, nao esta' capaz de assegurar a sua sobrevivencia autonoma. Dai' o cerimonial do casamento, a sua tendencial durabilidade, mesmo nas sociedades poligamicas. E' que para alem do Homem, so' se conhece outro mamifero terrestre que case e que sao as raposas, que formam pares estaveis. No resto da'-se o encontro, as hormonas sao sintetizadas e lancadas na corrente sanguinea. Ha' o acasalamento e apos ele, a femea corre com o macho, pois este normalmente sera' perigoso, para os neofitos que virao a caminho. Ja' tenho observado isso nos gatos.
O casamento, estado de compromisso que vai para alem os papeis, foi criado pela sapiencia da Mae Natureza, para assegurar e viabilizar a sa procriacao duma especie, em que os descendentes demoram imenso tempo a adquirir a autonomia. O porque do casamento nas raposas, nao conheco.
Agora que ja' atingimos o chamado estado civilizado, em que somos muitos e a tecnologia, e' quase de ficao cientifica, em que o minimo decente e refeicoes diarias garantidas e' de 3 e em que ja' comecam a haver substitutos materiais e sociais para o tal par, que antes tinha que ser estavel, tambem os casamentos cada vez duram menos e os chamados valores matrimoniais e familiares estao em crise. Aperte a fome, haja uma catastrofe que diminua drasticamente a esperanca de duracao de vida da especie Humana, que cause uma regressao nos recursos e consequentemente no modus vivendi das sociedades de consumo ( um fenomeno recentissimo, cerca de 40 anos) e imediatamente, os valores matrimoniais serao ressuscitados e a durabilidae do casamento, sera' outra vez um valor a defender a todo o custo, tanto nas sociedades monogamicas, como nas poligamicas ou nas poliandricas.
Deus nos defenda de tal catastrofe. Estou-me a referir aquela que causasse semelhante hecatombe, nao o casamento estavel e duradouro.
Nessa hipotetica altura de regressao civilizacional, invocar-se-iam outros motivos para a defesa dos casamentos estaveis e duradouros ( Que somente a morte vos Separe), mas isso e' a capacidade humana de eufemizar e ritualizar as coisas.
Pronto minha querida Amiga Heloisa. Espero com toda a sinceridade e de todo o meu coracao, nao ter ferido essa sua sensibilidade humana, poetica e romantica com esta minha filostrofia, ate' porque nao quero por nada deste Mundo, perde-la como Amiga. Mas e' o que eu penso, extraido de leituras que ha' anos faco sobre o assunto e o pensamento Cientifico tem estas coisas. E' duma utilidade inquestionavel, mas tambem na sua neutralidade, e' de uma frieza que por vezes me choca.
-----------------------------------------

...E...PRONTO> O resto e' pessoal! E, e' assim que pensa e escreve o meu Adoravel e Imprescindivel Amigo VITOR*!
__ELE, tem um Projecto em curso, e eu lamento, nao me ser possivel,ainda, dar-lhes a conhecer qual...pois, careco da sua autorizaao! __Irei pedir-lha!

__Cada um de vos queridos Leitores, tire a sua ilaccao!!! E, quem o desejar, escreva-me acerca. _Publicarei aqui os textos mais curiosos ou mais "cientificos"!
...E..estou certa que mais dia, menos dia, o meu querido Amigo, ira' estudar as RAPOSAS__E..SEU CASAMENTO!!!

__OBRIGADA VITOR*!!__

--------------***-------------


__AGORA, VOU DEIXAR AQUI, PARA TODOS NOS DELICIARMOS, O QUE DIZEM OS POETAS SOBRE AMOR E A PAIXAO!

_TEMA, QUE JA' FEZ CORRER TANTA TINTA E... TANTAS LAGRIMAS!!!

__NAO VALE A PENA ADIANTAR MUITO SOBRE O CELEBRE ROMEU E JULIETA __SHAKESPEARE( Dramaturgo e Poeta ingles mundialmente conhecido viveu entre 1564 e 1616).

E, tantos outros Pares Famosos pelo seu historial de AMOR/PAIXAO. Cito apenas dois:

D.PEDRO I DE PORTUGAL e a SUA BELA INES (Rainha depois de morta:_CONSTA!_) E...

HELOISA E ABELARDO (Ele sofre castracao e morre mais tarde mas..morre em PAIXAO! Ela, sobrevive, mas renuncia a VIDA _normal_, e, entrega-se de PAIXAO* ao trabalho, a Sua Obra e..foi o que se viu!) __UM DIA TRAREI AQUI UM POUCO DA SUA HISTORIA DE VIDA E... DE MORTE__PELA PAIXAO* PELO AMOR*( AMOR//PAIXAO*)!__...

POIS BEM: VEJAMOS UM DOS MAIORES (Senao, o MAIOR!... POETA EM LINGUA PORTUGUESA)E, QUE DISPENSA APRESENTACOES:_E' MUNDIALMENTE CONHECIDO_.

*****LUIS DE CAMOES*****
****************************

***AMOR E' FOGO QUE ARDE SEM SE VER***


Amor e' fogo que arde sem se ver;
E' ferida que doi e nao se sente;
E' um contentamento descontente;
E' Dor que desatina sem doer:

E' um nao querer mais que bem querer;
E' solitario andar por entre a gente;
E' nunca contentar-se de contente;

E' querer estar preso por vontade;
E' servir a quem vence o vencedor;
E' ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos coracoes humanos amizade,
Se tao contrario a si e' o mesmo AMOR?


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~E' LER EM JEITO DE ORACAO!!!~~~~~
(NAO HA' COMENTARIO POSSIVEL!)

E...COMO NAO PODERIA DEIXAR DE SER...

***FLORBELA ESPANCA***
**************************

*AMAR*
---------------

Eu quero amar, amar perdiamente!
Amar so' por amar: Aqui...alem...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...
Amar! Amar! E nao amar ninguem!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? E' mal? E' bem?
Quem disser que se pode amar alguem
Durante a vida inteira e' porque mente!

Ha' uma Primavera em cada vida:
E' preciso canta'-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser po', cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder...pra me encontrar...


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~Porventura, um dos mais conhecidos,
de FLORBELA! E,tambem, "carece"
de comentarios!~~~~

----------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------AGORA E...
DESPUDURADAMENTE, AS MINHAS PALAVRAS!
Que, mais nao sao,que, o meu Curvar aos "Pes"
DOS MESTRES*****
********************************************


*PALAVRAS SOLTAS, PALAVRAS EM DESALINHO*
_________________________________________

Palavras Soltas
Em desalinho
Palavras ao Vento
Sao ecos do meu lamento
_Do teu lamento_
Do meu tormento
_Do teu desamor_
Do meu impudor
Em te querer tanto!
Que num calado pranto
eu lanco as Nuvens
Espalho no Vento
Os Ecos audiveis
do bater do meu coracao
Que salta,pula ,e me estrangula,
Nesta insane
E, inacreditavel PAIXAO!!!

Em Palavras Soltas
Palavras em Desalinho
Eu Creio
Eu Sonho
Que a LUA
se planta Bem em frente da tua janela!...

...E, do Silencio do meu quarto
A LUA eu Saudo
Que...palida me olha
Com Sorriso Indefinido...

Eu, ordeno,
A Estrela Cintilante
que "Plantar" se VA'
Bem defronte da TUA JANELA
E...Que ao olhares para ELA
Entendas os Sinais
Que Ambas:_LUA e ESTRELA
Teimam em te transmitir!...

E... a ORDEM E':
_Para comigo SONHARES!
_talvez_,
"OS DEUSES"
COMOVIDOS
Com minhas Preces
NOSSOS SONHOS*MISTUREM
E..LA'
(No Sonho)
ME POSSAS ABRACAR
E, EU, EM TEUS BRACOS ME ANINHAR!!!(???)...


_QUEM SABE!??
AS ESTRELAS
A LUA
E...OS DEUSES*
Nao TE entregam
A Mensagem
e, TU, vejas
Meu Coracao A CHORAR...

E, minhas Palavras em Desalinho
AO SABOR DO VENTO
Em ECOS de TORMENTO
NAO, TE ACORDEM EM MIM
...E...PARA MIM!!!

__QUEM SABE__!???...

...Na Duvida...e, no entretanto...
PALAVRAS DESALINHADAS
CORREM NA CAUDA DAS NUVENS
E, fazem companhia a Palida LUA
Enquanto ELA aguarda o Senhor da Sua PAIXAO:
__O SOL__!

E...as ESTRELAS assistem LUMINOSAS
E...ILUMINANTES
ENQUANTO OS *DEUSES*
REUNEM EM CONFERENCIA
PARA EM SAPIENCIA DECIDIREM
SE...O SONHO E' PASSIVEL
DE SE CUMPRIR!!!

__AGUARDO O RETORNO DAS PALAVRAS DESALINHADAS
TRAZENDO A RESPOSTA DOS DEUSES*
EM SOPROS DE BRISA SUAVE
ONDE, O ESVOACAR DAS POMBAS
ESCREVA NO AR, BEM DEFRONTE, DA MINHA JANELA,
COM ECOS NO MEU CORACAO...

AS PALAVRAS: *AMOR/PAIXAO*
E...O SONHO... EM REALIDADE ACONTECE!!!


~~PALAVRAS SOLTAS...DISPERSAS AO VENTO...PALAVRAS EM DESALINHO!...

________________________________________________________HELOISA B.P.
EM 08/02/04 LONDRES!
__________________________________________________________________________
_______________UM ABRACO A TODOS E...VOLTAREI AO TEMA*
E...A POESIA!!!*_____________________
###########################################


Escrito por Heloísa às 7:42:00 da tarde.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



(¯`·._) sexta-feira, fevereiro 06, 2004 (¯`·._)


***RETALHOS DE PROSA DISPERSOS NO TEMPO***

*PROSA POETICA* *CONTOS* ESTADOS DE ALMA*
*DIVAGACOES*
-------------------------------------------------


E...no vazio oco das silabas, perdendo-se das palavras_perdidas_...atraves do TEMPO!

...Retalhos de Prosa, com que, teco a ``Manta de Retalhos'', que cobre, acalenta, do frio da existencia!...Bordando a Fio de Esperanca... e, a Varanda da Vida _qual Penelope_, perscrutando o Horizonte...expectante de ansiedade, e ilusao, a chegada do seu BEM-AMADO!...

...Fazendo e refazendo, o seu TAPETE e, embalando nele, as horas, dos dias, de cada ano!...E,com permanencia arreigada, convicta, de que o AMOR* e a VONTADE*, sao tao mais Fortes e Poderosos, que, tudo alcancam! E, TUDO VENCEM!!!..................

...Mantendo-se, assim, utopicamente, a centelha de Vida ,que a continua a suster, de PE' _Firme e Crente_, no seu Querer*, no seu Amar*... no seu modo de estar na Vida* _VIVENDO-A**_!!...
E... em Esperanca* _ESPERANDO**!_...

__Assim, tambem eu, "Bordo a Letras", a *MINHA MANTA*!
Na expctativa (utopica), de que, ao longe, na Linha do Horizonte...surja da bruma do Nevoeiro,senao, o meu Bem-Amado!...p'lo menos, ou, talvez, a resposta (sob qualquer forma), dizendo: afirmando-me, que valeu a pena permanecer a *VARANDA DA VIDA*... Tecendo Palavras, construindo Realidades!...E, somando Horas e Dias... aos ANOS; com os quais, a existencia se constroi _ou...se DESTROI_(!?)...

...E... O TEMPO SE DISPERSA...PERDIDO... NOS CAMINHOS DO VENTO*!...
~~~~~~~~~~~~~~

_AQUI, NA VARANDA DA VIDA
EU QUERO SABER A RESPOSTA!!__...

???Valeu a pena
Permanecer de PE'
Tecendo a MANTA DE RETALHOS
Bordada a LETRAS DE DOR
A Palavras de AMOR
A Frases de VIVER!!!(?)
??????????????

__SERA', QUE EM TEMPO UTIL O IREI SABER?__...

...IRA', O MENSAGEIRO*
ATRAVESSAR O NEVOEIRO
E A RESPOSTA ME DAR???


__RESPONDA QUEM SOUBER!!!!!!!!!!!!!__.

__Heloisa B.P_ Londres.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

-----***-----


***REFLEXOES EM PROSA E VERSO***
_III_
________________________________________


AQUI ESTOU HOJE!
Pensando, exactamente,
O mesmo
QUE ONTEM!


AQUI ESTOU HOJE!
Sem caminho
Sem rumo
Sem definicao...

_COM UMA EXISTENCIA, INEXISTENTE!_...

__SO'!!

...Cada vez mais SO'!!!
Numa estrnanha Solidao
Mesmo, quando a Multidao
E' IMENSA!!!....

...Como que, uma Doenca!...
_Estou Doente_
Do Corpo e da Alma!...

...O CORPO...
Talvez a medicina
Tenha capaz resposta
A breve, ou, a Longo Prazo!???...
MAS...
A ALMA???
__Talvez__,

``OS DEUSES''

*OS DONOS DOS DESTINOS*
(Destinados a O nao ter)...

...TALVEZ...

``ELES''

TENHAM O BALSAMO PARA A DOR!...

???TALVEZ!???

~~~~~

__PECO, ENTAO, ENCARECIDAMENTE_,

**AOS PODEROSOS DONOS DO UNIVERSO**

__DA TERRA
E, DO MAR__

QUE OLHEM, COM OLHOS DE VER,
E DEFINAM
_DECIDAM_
(De uma so' vez),
Que Destino me DAR
Que Destino vou TER
? QUE RUMO DEVEREI TOMAR!?...

PORQUE,

*O' DEUSES*...

_ESTOU CANSADA DE ESPERAR!!!_.

__________________________________Heloisa B.P.
(escrito em 02/01/04 , Londres)
************************************************************


Escrito por Heloísa às 5:36:00 da tarde.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home





***AMIZADE***

*UM AMIGO**
---------------------------


VOLTO A ESTE TEMA, PORQUE, ESTE E' UM TEMA INESGOTAVEL!

Porem, o que me faz voltar, ja', e' o facto de nao me ser possivel (ao meu coracao e consciencia), deixar passar em branco, sem uma palavra de destaque, uma belissima ``Prova Viva'' de *AMIZADE*!

Os que me seguem, desde o primeiro minuto, e que me estimularam a iniciar esta ``aventura'', ja,' antevem a que me refiro! Porem, os que, porventura, comecem a visitar-me agora, ou doravante, nao o saberao! _Contudo, trata-se de algo muito simples, que tem por nome: GENEROSIDADE E SOLIDARIEDADE ,PARA ALEM DE FRATERNIDADE!... Que vem ate' mim, pela mao, pelo coracao, pela mente, de uma pessoa excepcional, que atende pelo nome de *ANA*_ que, para alem de me brindar com a mais rara Perola... que e' a Sua AMIZADE!... ainda, a materializa, de modo espectacular, artistico e bem visivel ...aqui, bem em frente aos nossos olhos, neste BLOG _HOJE, PODE JA' SER ASSIM CHAMADO_!

__TODOS PODEM OBSERVAR, COMO ELA*, TRANSFORMOU UM ESPACO QUE ERA HUMILDE (pretendia se-lo) num espaco de *Beleza Delicada*! _Humildes, agora, so' continuam as minhas simples palavras (que pretendem se-lo!) _disse desde o inicio:_ desejo, que este espaco de comunicacao, seja acessivel a TODOS!_.

_Tudo o que eu possa aqui acrescentar, dira' sempre pouco, do MUITO, que eu sinto: da Gratidao e Amor que vai na minha Alma... no meu coracao!!!__Assim sendo, direi apenas: ANA QUERIDA*, OBRIGADA POR ESTAR NA MINHA VIDA E ME BENIFICIAR COM A SUA AMIZADE*** E, ESTE AGRADECIMENTO, E' EXTENSIVO A SEU ADORAVEL ESPOSO: FABIO ULANIN*!....
-----***-----


A TODOS os outros, tambem queridos e excelentes AMIGOS, que me visitam e acarinham, o meu coracao e' VOSSO! _GRATA PELO VOSSO CARINHO!_.

-----***-----

__Habitualmente, nao costumo fazer `citacoes'' de Pensamentos alheios e Celebres! Mas, de quando em vez, impoe-se que eu os use; porque, expressam de modo mais sabio e directo, o que pretendo dizer (expressam melhor ou meu sentir). _E' essa a circunstancial actual!_. Por isso, vou deixar aqui, esses *Celebres Pensamentos* ,que adicionados, a tudo o que aqui escrevo, me ajudam a HOMENAGERAR MINHA QUERIDA AMIGA*!!!

-----***-----

``SE ALGUEM PERGUNTAR O QUE E' A AMIZADE, RESPONDE. E' O VINCULO DE DUAS ALMAS VIRTUOSAS.

**PITAGORAS**

"E"

``A AMIZADE E' A SOMBRA DA TARDE QUE CRESCE, ATE' QUE O SOL DA VIDA SE PONHA.''

**LA FONTAINE**

"E",
Para acabar por hoje este tema AMIZADE, DEIXO UM ABRACO A MEUS QUERIDOS ANA* E FABIO* BEM COMO, A TODOS OS DEMAIS!...E, FICA MAIS UM PENSAMENTO* DE CARACTER GLOBAL, QUE E' ASSIM:


`` O ONTEM NAO PASSOU DE UM SONHO, O AMANHA NADA MAIS E' QUE UMA VISAO; MAS O HOJE BEM VIVIDO FAZ DE TODO O ONTEM UM SONHO DE ALEGRIA E TODO O AMANHA UMA VISAO DE ESPERANCA.

**GIGIO**

----------*****-------- --HELOISA.


Escrito por Heloísa às 3:54:00 da tarde.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



(¯`·._) terça-feira, fevereiro 03, 2004 (¯`·._)


Teste

Vou mudar meu nome para teste. Adivinha quem está escrevendo?


Escrito por Heloísa às 8:58:00 da tarde.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home





*** POESIA ALIMENTO DA ALMA ***

***FERNANDO PESSOA***
___________________________________

FERNANDO ANTONIO NOGUEIRA PESSOA, nasce em Lisboa em 13 de Junho de 1888.

Anos mais tarde, passara' um periodo de tempo na Africa do Sul e regressara' a Portugal ,instalando-se em LISBOA.

Nao pretendo, fazer aqui, uma analise explanatoria: Literario-Biografica, porque, ha' imensas Obras que falam, com sabedoria, sobre o tema. E, ha' muita materia publicada em Sites de qualidade! _Assim sendo, nada de novo, nem de maior importancia... aqui iria deixar!...Bem como, a tanto nao me chega ``engenho e arte!''nem Academica competencia!

__Para alem do mais, FERNANDO PESSOA, E' SOBEJAMENTE CONHECIDO DA MAIORIA DE NOS!!!__.

__O que me faz trazer aqui, Fernando Pessoa, e', a minha imensa PAIXAO pela sua OBRA*, consequentemente, pela sua ``pessoa''__PESSOA GRANDE!!!!!__(nao o sendo, demasiado, em fisica realidade!!!!)

__FENNANDO PESSOA, fascina-me e admiro-O tanto, quanto admiro FLORBELA! _ So' uma pequena diferenca , me ``atrai'' mais uns ``milimetros'' para ELA: e', o facto, de ser MULHER (e...que Espirito de MULHER!!), e, ser filha do ALENTEJO _Planicie do PAO e do SOL!_

_Depois, e no meu humilde ponto de vista, ha' tambem, imensas ``Analogias'' entre Um e Outro!_.

__Ambos, sao seres controversos e geradores de polemicas (Eles sao a Polemica!). _Suas Vidas sao CURTAS e profundamente infelizes!!_ Ele, vira' a falecer em Lisboa em 1935, Ela, vira' a falecer (fala-se em Suicidio (!???) ) em Matosinhos, em 1930. _Florbela ,*linda e maravilhosa* e, com apenas 36 anos de idade _,nos dias de hoje...seria uma muito jovem Mulher!...Como soi dizer-se:_UMA CRIANCA!_.

Pessoa, ``nao tao lindo''...mas, igualmente, muito `maravilhoso'*: falece ,com 47 anos _homem novo, mas nao jovem!_...e, dado os conceitos da e'poca, e, seu proprio estado de saude ,sua propria e transparente ``Melancolia''... para muitos, Ele, seria mesmo, um homem ja' a iniciar a ``velhice''!....

__Porem, o ESPIRITO, ERA PLENO DE JUVENTUDE E VIVACIDADE...MAU GRADO, SUA DORIDA ALMA!!! __

__E, temos entao, mais uma analogia ou, paralelismo:__SUAS, IMENSAMENTE, ATROZMENTE, *DOLORIDAS ALMAS*!!!__

_E...Atravessaram a VIDA, no mesmo ``periodo'' de tempo _Florbela admirava-o bastante!

__AMBOS, nos deixam uma OBRA Fascinante*! De uma Riqueza Humana extraordinaria_ isto,nao falando, no autentico TESOURO que as MESMAS sao, para a LITERATURA PORTUGUSA __E...MUNDIAL!__PARA A POESIA , *NO PORTUGUES*!!__.

__Somente,, Ele nos deixa, uma OBRA VASTISSIMA (Qualidade e Quantidade...)e, a de Florbela, e' menor (em quantidade)!

__Serve, este alinhavar de palavras, para vos dizer, *Caros Leitores e Amigos*, que a AMBOS, EU, AMO APAIXONADAMENTE!!!__SUAS OBRAS ME FASCINAM, ME COMOVEM E... ME ALIMENTAM!!!_

__Deixo-vos com alguns dos POEMAS de PESSOA* que, falam mais DELE* que ``Mil Palavras eu Dissera!...''__

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

__Escolhi estes por agora_ mas, o TEMA* nao se esgota aqui_, porque, eu, gosto muito destes, e tem a ver, com meus conceitos, reflexoes e sentimentos!...E, tambem, porque nao serao tao conhecidos, do publico em geral (se, se recordam, no inicio desta minha ``aventura'' por estas paragens, eu afirmava que pretendia, que este ``ESPACO'', seja acessivel a TODOS:_mais ,ou menos , ``eruditos''_ sem distincao de idade ou condicao!!!

__Vamos entao, sem mais delongas...SENTI-LO!...``quica''...ENTENDE-LO (sendo isso possivel!??...)!!


*LIBERDADE*

Liberdade
Ai que prazer
nao cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e nao o fazer.
Ler e' macada,
estudar e' nada.
O Sol doira sem literetura.
O rio corre, bem ou mal,
sem edicao original.
E a brisa, essa, de tao naturalmente matinal
como tem tempo, nao tem pressa...
Livros sao papeis pintados com tinta.
Estudar e' uma coisa em que esta' indistinta
A distincao entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor e' quando ha' bruma.
Esperar por D. Sebastiao,
Quer venha ou nao!

Grande e' a poesia, a bondade e as dancas...
Mas o melhor do mundo sao as criancas,
Flores, musica, o luar, e o sol que peca
So' quando, em vez de criar, seca.

E, mais do que isto
E' Jesus Cristo,
que nao sabia nada de financas,
Nem consta que tivesse biblioteca...


*FERNANDO PESSOA*



PALAVRAS... PARA QUE???
POLEMICO!.................... CONTROVERSO!............... CRITICO!.................. e.......... ``doloridamente'' MORDAZ!....................................... E....``um Mundo mais!.''..

****************

__Novas Poesias Ineditas__________

I

Todas as cousas que ha' neste mundo
tem uma historia,
Excepto estas ras que coaxam ao fundo
Da minha memoria.

Qualquer lugar neste mundo tem
Um onde estar,
Salvo este charco de onde me vem
Esse coaxar.

Ergue-se em mim uma lua falsa
Sobre juncais,
e o charco emerge, que o luar realca
Menos e mais.

Onde, em que vida, de que maneira
Fui o que lembro
Por este coaxar de ras na esteira
Do que deslembro?

Nada. Um silencio entre juncos dorme.
Coaxam ao fim
De uma alma antiga que tenho enorme
as ras sem mim.



* FERNANDO PESSOA.* 13-8-1933

SEM COMENTARIOS!!
*********************
II


Nao quero rosas, desde que haja rosas.
Quero-as so' quando nao as possa haver.
que hei-de fazer das coisas
que qualquer mao pode colher?

Nao quero a noite senao quando a aurora
A fez em ouro e azul se diluir.
O que a minha alma ignora
E' isso que posso possuir.

Para que?... se o soubesse, nao faria
Versos para dizer que inda o nao sei.
Tenho a alma pobre e fria...
Ah, com que esmola a aquecerei?...



*FERNANDO PESSOA*. 7-1-1935
****************************

_Novos P. Ineditos_
****************
__Leiam e releiam ,devagar e ao ritmo do coracao!... e...atentem bem, nos primeiros dois versos da primeira estrofe!!.......... E.............. nos dois ultimos da última!

_Antes de cotinuar, abro aqui ,um `hiato'', para tentar definir POESIA* e, POETA*: socorrendo-me, do Dicionario_.
------***------

__POESIA:_ arte que se distingue tradicionalmente da prosa pela composicao em verso e pela organizacao ritmica das palavras, aliada a recuros estilisticos e imageticos proprios; (tambem) composicao literaria em verso (ainda) conjunto de obras em verso, escritas numa lingua ou proprias de uma epoca, de uma escola literaria, de autor, etc. __HA' mais, mas fiquemos por aqui!__


__POETA:_ que faz poemas ou versos. autor de poesia; vate; vesejador ;aquele que tem inspiracao poetica ou imaginacao inspirada etc...__por ai' fora... que a definicao e' longa._

-----***-----

__Eu, li, num contexto, o qual, honestamente, nao me recordo onde, nem de quem!...e, e' assim:

``Poesia consegue tornar visivel algo abstracto como os sentimentos, em realidades quase palpaveis.''

__Simples, Bonita e inteligente definicao!!!__Parabens a quem escreveu!__.

------------------------------------------------
Eu digo, simplisticamente:_Poesia e' isto!... e, para alem de tudo isto: um absorver da VIDA da Essencia...BEBE-LA a tragos suaves!... tao lentamente suaves... ate' quase a ultima gota!...sem nunca esvaziar o calice...saboreando dela, o ``travo acri-doce''...e...quedar-se, adormecida ...ate' ao estado de morte!...e...da Morte* ser `revolvida- redimida''... e...``engolida p'la palavra!...esvaida pelo sangue: seiva do verso...e, de controverso... se arremessar ao mundo... num poema polemico...com antevisao de Morte*...com a energia de Vida* e nao saber... porque sabe, que tem que remar num papel... com remos de fel!?...e...o Porto de Abrigo Sereno, para a Alma guardar... se perde no horizonte ...onde as mares arrastam a DOR*...depositando, nas areias, da praia da ilusao... os destrocos, os restos do corpo...perdido na `naufraga canoa'' do AMOR!!!............................... E ....................... O infinito e' a LUZ!**............Luz*, que resgata as trevas....a ansia da palavra.........que foge da prosa e se abriga no Verso* ( tantas vezes perverso!)...E....no Sonho**...Esposo da Poesia***!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!E..............E' INFINITO O CONCEITO...e... INDEFINIDO!?..................ONDE NASCE A POESIA!?.................ONDE MORA O POETA??..............O QUE E' UM POETA???????

_____________________________________

E............. VOLTEMOS A ESTE POETA, FERNANDO, CHAMADO!__POETA AMADO!*******

__UM DO SEUS HETERONIMOS:__*ALBERTO CAEIRO*


***O GUARDADOR DE REBANHOS*** ( IX)

Sou um guardador de rebanhos.
O rebanho e' os meus pensamentos
e os meus pensamentos sao todas as sensacoes.
Penso com os meus olhos e com os ouvidos
e com as maos e com os pes
E com a boca.


Pensar numa flor e ve-la e cheira-la
E comer um fruto e' saber-lhe o sentido.


Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de goza-lo tanto
e me deito ao comprido na erva
e fecho os olhos quentes,
Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei a verdade e sou feliz.


Bucolicamente belo e triste! Mas....... onde pulsa a Vida.....vestida de Poetica Sensualidade!

______________________MINHA HUMILDE HOMENAGEM
A ESTE POETA MAIOR (ENTRE OS MAIORES)...E TAMBEM ELE* __QUAL FLORBELA*__...POETA DO AMOR* E POR AMOR*!... PELO AMOR* A VIDA* (AOS RIOS E AOS LAGOS, AOS CEUS E AS NUVENS,
E...AO AMOR* QUE TERIA SIDO O SEU (MULHER...sua!!!???)!

__MEU ``CANTO'' HUMILDE E ESCONDIDO__________________


** E COM TODO O MEU SER EU ABSORVO A VIDA **


E... com todo o meu SER eu absorvo a VIDA
E, com toda a minha ALMA eu a quero despida
Da hipocrisia e do frio da mentira
Que dela _VIDA_, retira todo o sentido de ser vivida!!!

E... com todo o meu corpo ( INTEIRO) deitado no chao
Frio, com cheiro de TERRA QUENTE,
Eu quero inalar o perfume da selvagem flor
Saborear o fruto maduro e fremente que rolou no verao.
E... me alimentar da PAIXAO de sentir a terra moldavel
Adaptavel a minha `morfologia''.
E.. com minhas maos arrancar a erva do prado
Mira-la, remira-la, verdinha de ESPERANCA...

...De que o CEU, esta' ali, olhando para mim...
As nuvens correm de mansinho...
A LUA reaparece LA'... bem... acima DELAS...
O SOL ja' me sorriu e... se despediu
Dando lugar as outras Estrelitas, mais miuditas...
Mais distantes!!!...

Entao, todo o meu CORPO, orvalhado de realidade
P'lo cair da noite, me diz: que, de certeza `certa''
EU SOU ``UMA GUARDADORA DE REBANHOS!!>>>

ELES, sao os meus PENSAMENTOS
Filhos das minhas ILUSOES
Irmaos das minhas SENSACOES
E, me fazem sentir TRISTE E ALEGRE
Numa mistura de EMOCOES!
Mas, me trazem ao PEITO, a ALMA
A confirmacao, de que, o calor vem do SOL.
A nostalgia, filha e', da LUA!
E, com o barro e a TERRA
E.. no todo ``amassado'' da CRIACAO
Esta, renasce, e, se expande..a seiva da PAIXAO!!!


E'...**ELA*,* O CERNE DA VIDA,
ESSA TAL, QUE QUEREMOS VIVIDA
E..FELIZ!!!


E... O MEU CORPO DEITADO NA TERRA
MOLHADO DE REALIDADE
ME DIZ, E, AO MEU REBANHO ( PENSAMENTOS), SER VERDADE
QUE A FLOR VAI REFLORIR
E...E' POSSIVEL, NUM LONGINQUO PORVIR
A FELICIDADE (re) EXISTIR!!!


__VOU SER UMA ZELOSA ``GUARDADORA DE REBANHOS''__
( SONHOS!!).

**HELOISA B. P.__
(escrito no Verao de 2003: LONDRES)


__QUERIDOS LEITORES, QUERIDOS AMIGOS* EMBALEM OS SONHOS COM POESIA DE FERNANDO* DE FLORBELA* OU DAQUELE QUE VOS MAIS AMEIS! MAS... DEIXEM A POESIA*** ENTRAR NO VOSSO CEREBRO ,
DESLIZAR NA VOSSA CORRENTE SANGUINEA E... ANINHAR-SE NO VOSSO CORPO _VOSSA ALMA*_!!!

__FIQUEM BEM!__Perdoem a ausencia dos graficos acentos...__que muito me ``irrita'__' nao os possuir o meu teclado_!
______________Vossa: Heloisa. ___________


Escrito por Heloísa às 3:31:00 da tarde.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home