(¯`·._.· HELOÍSA ·._.·´¯)

Suas vivências: coerências e incoerências... sua viagem no Tempo presente, atravessando as pontes do passado.

Conterá Poesia, Prosa Poética e uma abordagem simplificada as diversas formas de ARTE.

Minha finalidade é aproveitar este *ESPAÇO* privilegiado, como veículo de comunicação,
para fazer isso mesmo: *COMUNICAÇÃO* e inter-acção entre quem escreve e quem lê e... vê:*VISITANTES DESTE ESPAÇO*

*PERDOEM A AUSÊNCIA DE ACENTOS*

(¯`·._) Escreva-me (¯`·._)

E-mail

(¯`·._) Meu banner (¯`·._)
Conversando com as Palavras
[ Código ]


(¯`·._) Amigos (¯`·._)

Conversando com as Palavras
ASHERA Concurso de Poesia 2008

Ora, vejamos...
Concurso de Poesia
@ Lulu.com
Contacto
ORA VEJAMOS
ALMA MINHA
137 A Base (inexata) da Ignorância
a Barca de Lyra
Afinidade Mily
Algo Tão Doce!
A Direccao do Voo MARIA DO CEU COSTA
Aqui Maria do Ceu Costa
Arde o Azul
A Procura de Cleopatra Marco Antonio
Ao Sabor da Aragem JMTleles da Silva
Art & Design de Isabel Filipe
Betanices BETANIA
Bodeguita
Branco e Preto I AMITA
Branco e preto
Canção de Outono
Cartas e Pensamentos
Casa de Contos
Ceu & Inferno_Larousse
Cidadão do Mundo
Conversas de Xaxa 4 PETER
E Deus Tornou-se Visível
Hora Absurda HENRIQUE
Encosta do Mar ANA
Entre Outras Mil
Et Alors
EternamenteMenina
Fabio Ulanin
From Within
Heloisa conversando com as palavras2
Holísticos
Hora Absurda II
Jornal Mil e Uma Notas
Letras Ao Acaso
Luz da Minha Alma
Oceano sem fim Antonio Soares
Ocasos
Ofeliazinha
Palavras de Algodao
pátria d'água
Pensamentos de Laura
Peter's
Poemas de Amor e Dor
Porto de Abrigo
Quem Tem Medo de Baby Jane
(re)Criando
Rodrigo Della Santina
Tem Poemas
Trilhas do Olhar
Velho da Montanha, O
Vagueando, Carlos
LAGOS (GELADOS) com ou sem CISNES...II,Valquielo Heloisa

*PARABENS MARIA AZENHA*
Word Land
Zadig

(¯`·._) Lembranças (¯`·._)



(¯`·._) Créditos (¯`·._)



This page is powered by Blogger. Isn't yours?

(¯`·._) quarta-feira, dezembro 29, 2004 (¯`·._)


***PARABENS MARIA***

POSSA SER AINDA MAIS FELIZ E,
Tornar-nos a nos, seus Amigos, felizes e gratos por Sua Presenca e Amizade!
E... VIVA MUITO E BEM, PARA QUE ENRIQUECAMOS COM SUA POESIA, COM SUA ARTE, COM SUA *OBRA*!!!!!!!!!!

_Meu Coracao para SI*_!

_Muito mais lhe desejava dizer, mas nao encontro as palavras certas!

Sua Amiga,
Heloisa.
***********************
Meus Amigos de sempre, meu Abraco para Vos e, convido-Vos a ler mais um pouco de *MARIA AZENHA*! _Deixo-vos uma "Amostra":

***MARIA AZENHA***
************************

*DA MATEMÁTICA E DA POESIA* (1)
********************************

...
1.INTRODUÇÃO

Esta curta reflexão “DA MATEMÁTICA E DA POESIA” pretende apenas focalizar a atenção para algumas componentes matemáticas da Poesia e/ou algumas componentes poéticas da Matemática.

Não se trata portanto de um discurso académico, embora possa, eventualmente, utilizar conceitos e estratégias académicas para levar a melhor termo o seu objectivo.

Todos os conceitos matemáticos nela utilizados, ou expressos, servirão naturalmente para iluminar algumas ideias no texto e contextos poéticos.

Através da Poesia rememorio o inventário do Universo.

Através da Matemática rememorio o verso no Um, ou no último-único verso, que se atinge através da Diversidade.

Essa Diversidade, que se atinge pelos desdobramentos sucessivos de um Eu poético, constituindo-se em entidades distintas, com personalidades diferenciadas e graduadas.

Essa foi a grande descoberta de Pessoa.

E é sobre isso que venho aqui reflectir.

Em síntese, e citando uma frase célebre:

SE DEUS NÃO TEM UNIDADE, COMO A TEREI EU?

E que Eu é este?

Como se mostra?

Como se revela?

O que constrói?

Onde pode chegar?


2. QUEM SOU: O EU POÉTICO

Podemos dizer que o Eu Poético é o navegador do “site” da Memória Universal, ou se quisermos restringir ou ampliar o campo das experiências do Eu, o navegador da memória noética, ou ainda de uma memória quântica do Universo.

Quer dizer pois que, perguntar pelo “QUEM SOU EU”, pressupõe colocarmos uma outra questão:

QUE MEMÓRIA TENHO PARA RESPONDER AO “ QUEM SOU”?

Vou contar-vos uma resumida história que nos irá induzir à questão anterior.

Durante milhares de anos o mundo foi visto como constituido por Ar, Água, Terra, e Fogo.

E era necessário ligar estes quatro elementos.

Então o Homem começou a falar na 5ª essência, que era o que os ligava a todos, e que era a responsável pelo aparecimento de todas as coisas.

Foi assim durante milhares de anos, com mais ou menos variações.

Surgiu então um senhor chamado Albert Einstein, que chegou à conclusão de que não era necessário explicar a existência das coisas pelo facto de haver Ar, Água, Terra, Fogo e a tal Quinta Essência.

Disse-nos ele:

“ TUDO O QUE EXISTE É CONSEQUÊNCIA DE HAVER ESPAÇO, TEMPO, MASSA E ENERGIA, LIGADOS POR LUZ”

E como é a Luz que liga o Espaço, o Tempo, a Massa e a Energia, quanto mais longe estiver a Luz

(da Terra, ou do POEMA, que é a Terra do Eu Poético), mais depressa a Luz percorre o espaço, para poder ligar estas quatro componentes.

Mas interroguemo-nos a propósito do Tempo.

COMO CONTAR O TEMPO?

QUE REPRESENTAM OS TEMPOS PRESENTE, PASSADO E FUTURO?

A MEMÓRIA, COMO MÁQUINA ESTRUTURADORA DO CONHECIMENTO, PERMITE VIAJAR NO TEMPO?

Isto é: o Eu Poético que navega através da Memória navega no Tempo?

Em que Tempo ou Tempos?

Como contá-los?


3. COMO CONTAR O TEMPO

O Tempo ao longo das civilizações foi contado de modos diferentes.

Por exemplo os Ìndios Navajos não têm uma só palavra para contar o Tempo.

Se estão a falar do tempo relativo a uma rocha, têm uma palavra.

Se o tempo é a relativo ao Ar têm outra palavra.

Se o tempo é relativo a uma pessoa têm ainda outra.

Isto é: o Tempo é sempre relativo.

E nós sabemos isso, pois o tempo para a rocha passa de modo diferente do tempo que passa por outros entes.

Mas... o que representam os Tempos PRESENTE, PASSADO E FUTURO?

É curioso entender o pensamento dos Índios Navajos.

Para eles o PASSADO é o que está à nossa frente.

(porque é o que eu sei, logo, está à minha frente)

E o FUTURO?

Bom, o Futuro está aqui mesmo por cima do Ombro

(pois é tudo o que eu não sei)

Por isso, o que eu não sei é o Futuro.

Vejamos como esta ideia se ilustra num poema de Ulisses Duarte :

Sem relógio, bússola ou sextante

(sem marcadores do tempo ou do espaço)

apenas com a têmpera do granito

és dentro de ti o imigrante

entre o ser e o não-ser do infinito

(reparemos: o Eu Poético é o navegador do site da memória entre o ser e o não-ser ...do Infinito, ou seja entre o Sim e Não ...)

na sombra das horas, no escuro

do tempo onde adormecem as afrontas

lapidas as arestas do teu muro...

(PASSADO)

e lá vais com a agenda onde apontas

os sonhos que derramam o futuro

(OS SONHOS QUE ESTÃO POR CIMA DO OMBRO)

como se no Futuro houvesse contas.



Então o tempo do Futuro não se pode contar? Só se pode sonhar?

E sonhá-lo é já contá-lo?

Diz a sabedoria popular: O FUTURO A DEUS PERTENCE.

E porque Deus sabe Tudo, não precisa de viajar.

Quero dizer:

Se o Poeta sabe Tudo, porque é esse Deus do Futuro, não carece de viajar no Tempo?

Então, viaja Onde?

No não-Tempo?

O que é facto é que inventámos uma máquina para viajar no Tempo.

Esta máquina chama-se MEMÓRIA - máquina para andar para trás e para a frente.

E há tantas escritas quantas as memórias:

As memórias, que podem ser fotografias.

As memórias que são as telas.

...............................................E... o RESTO, incito-VOS, a ir a este endereco que deixo aqui! Pois, este trabalho, da Maria, esta' no TriploV (Este e OUTROS TRABALHOS DELA* (e, nao so'!...))!

(O LINK, nao sera' directo, porque, nunca acerto no modo de o fazer!_PERDAO POR ISSO_!):

http://www.triplov.com/

http://www.blogger.com/app/post.pyra?blogID=6392559 (este vai directo ao TRABALHO!_ESPECTACULAR, no meu ponto de vista_!

E... deixo-Vos este, para quem nao O conhece:

maat7 (http://patriadagua.blogspot.com)


_Meu carinho, para TODOS VOS!

_MARIA*, fique nesta Companhia, julgo ser de seu agrado!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


***Antônio Gedeão***
______________________

*Gota de Água*
__________________



Eu, quando choro.
não choro eu.
Chora aquilo que nos homens
em todo tempo sofreu.
As lágrimas são as minhas
mas o choro não é meu.




-----------------------------
*****************************

*** Maria Rosa Colaço ***
***************************


*Um dia chegará a Primavera!*
_______________________________




Um dia chegará a Primavera!

Um dia em qualquer lugar, ou em todos os lugares,

Como um novo maio,

Haverá entendimento dos homens e dos deuses,

O fluir fácil da vida e do trabalho,

E harmonia entre o que se deseja e as mãos já constroem.

Um dia seremos todos crianças maravilhadas.

Um dia seremos inocentes,

E nus.

************************


***Adélia Prado***
******************


*Nem um verso em Dezembro*
___________________________




Nem um verso em Dezembro,

Eu que para isso nasci e vim ao mundo. (...)

***********************************
***********************************


***Sophia de Mello Breyner Andresen ***
*****************************************


*Musa*
************



Aqui me sentei quieta

Com as mãos sobre os joelhos

Quieta muda secreta

Passiva como os espelhos



Musa ensina-me o canto

Imanente e latente

Eu quero ouvir devagar

O teu súbito falar

Que me foge de repente


**************************
**************************


*Jardim*
**************


Alguém diz:

"Aqui antigamente houve roseiras" -

Então as horas

Afastam-se estrangeiras,

Como se o tempo fosse feito de demoras

***************************************
***************************************
E...


***Chamo-Te***
********************



Chamo-Te porque tudo está ainda no princípio

E suportar é o tempo mais comprido.



Peço-Te que venhas e me dês a liberdade,

Que um só de Teus olhares me purifique e acabe.



Há muitas coisas que não quero ver.



Peço-Te que sejas o presente.

Peço-Te que inundes tudo.

E que o Teu reino antes do tempo venha

E se derrame sobre a Terra

Em Primavera feroz precipitado."


***************************************
***************************************NAO POSSO OFERECER-LHE MAIS NADA!
_ OFERECO-LHE ***POESIA***
QUE E', ALIMENTO DE SUA ALMA_!!!!!!!!!!!!!

*SOPHIA* E... OS *OUTROS*, para *SI*, MINHA QUERIDA E LINDA AMIGA; QUE, COMO BEM DIZ, NOSSO COMUM AMIGO:_A.P.C.(ZE': Letras ao Acaso): "MARIA AZENHA, E' A MAIOR POETISA PORTUGUESA, *VIVA*"_!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

_O SOL A INUNDE E *ABRILHANTE*, AINDA MAIS_!

Beijinhos.

Heloisa.
***************************
***************************















Escrito por Heloísa às 1:00:00 da manhã.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



(¯`·._) domingo, dezembro 19, 2004 (¯`·._)


***FELIZ PERIODO NATALICIO***

***BOAS FESTAS***
*PARA TODOS OS MEUS AMIGOS*:
_Os sempre Presentes e Alguns ausentes!_

_Que vivam este PERIODO FESTIVO com a PAZ no CORACAO E, *O PAO* e a *CONCORDIA* nas VOSSAS MESAS!

_SEJAM FELIZES JUNTO DE VOSSOS ENTES QUERIDOS_!!!

_DESEJOS, SINCEROS, DE VOSSA AMIGA DISTANTE (so' fisicamente!)MAS, QUE VOS TEM BEM PRESENTE NO *CORACAO E NA MENTE*_!

_BEIJINHOS!!!!!!!!!!!
VOSSA, Heloisa.
************************************PS: Perdoem, se nao Vos "Visitar" a TODOS, deixando pequena mensagem de BOAS FESTAS_!

------------------------------------------


***Augusto Gil***
************************





*Balada da Neve*
_______________________


Batem leve, levemente,
Como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
E a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
Mas há pouco, há poucochinho,
Nem uma agulha bulia
Na quieta melancolia
Dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente,
Com tão estranha leveza,
Que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
Nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía
Do azul cinzento do céu,
Branca e leve, branca e fria...
-Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!

Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho,
Passa gente e, quando passa,
Os passos imprime e traça
Na brancura do caminho...

Fico olhando esses sinais
Da pobre gente que avança,
E noto, por entre os mais,
Os traços miniaturais
Duns pezitos de criança...

E descalcinhos, doridos...
A neve deixa inda vê-los,
Primeiro, bem definidos,
Depois, em sulcos compridos,
Porque não podia erguê-los!...

Que quem já é pecador
Sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
Porque lhes dais tanta dor?!...
Porque padecem assim?!...

E uma infinita tristeza,
Uma funda turbação
Entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza
- e cai no meu coração.

*******************************************OXALA', ESTE *POEMA* NAO FOSSE TAO PERTINENTE_!!!!!!!!...................

_QUEM DERA, PODER "DERRETER A NEVE QUE CAI NO MEU CORACAO"_!!!!!!!!!!!!!

_DESEJO, SINCERAMENTE, DO FUNDO DA MINHA *ALMA*, QUE ESTE ***POEMA*** ESTIVESSE VELHO, OBSOLETO! E, eu pudesse, com conviccao, entoar HINOS DE ALEGRIA E LOUVOR, AO *DEUS MENINO*!... PORQUE, DO *MUNDO, TINHA SIDO BANIDA A DOR*!_ESPECIALMENTE, "AS CRIANCAS SENHOR"_!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
_E, OS INOCENTES:_OS VELHOS, OS DOENTES!........

_PUDESSE EU, NO ANO QUE SE AVIZINHA: *2005*, DAR ESTE (E OUTROS A SEMELHANCA DESTE)***POEMA*** COMO TOTALMENTE "DEMODE'", "INADEQUADO"!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

_UTOPIA A MINHA_!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

(Perdao, se lanco esta "Nota de Tristeza", nas ALMAS dos que, apenas, preferem ver o LADO BELO:_EU TAMBEM O VEJO_! MAS... NAO CONSIGO DEIXAR DE VER *ESTE*, POR MAIS QUE "VIOLENTE O MEU CEREBRO E O MEU CORACAO"!_PERDAO_!).
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~Heloisa.
*********************************************






Escrito por Heloísa às 2:51:00 da manhã.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



(¯`·._) quarta-feira, dezembro 08, 2004 (¯`·._)


***FLORBELA ESPANCA***

*POETISA*

*MULHER*

*AMANTE*

*AMIGA*!
*************************************


_HOJE, E' o SEU DIA*_!!!!!!!!!!!!!!

_1894: A 8 de Dezembro, nasce Florbela Espanca em Vila Viçosa: ALENTEJO!_MEU, DELA, NOSSO ALENTEJO_!!!!!!!!!!!!!!!!

_NAO ACRESCENTO MAIS NADA, POIS, TODOS OS QUE ME VISITAM, CONHECEM SOBEJAMENTE, ESTA MULHER!_ESTA "INDOMAVEL" E... SIMULTANEAMENTE, "QUEBRAVEL" PERSONALIDADE_!QUE,
NA SUA *TORRE DE MARFIM*, COM SEUS DEDOS ESGUIOS E, OLHOS DE "GARCA"; ELA, VIU PASSAR A *VIDA*, E... NAO SEI SE A VIVEU!???_ACHO, QUE NEM ELA SABIA_!!!!!

_*FLORBELA*, e', para mim, um *MITO* e uma PAIXAO-ATRACCAO!!!!!!!
_AMO CADA UM DOS SEUS VERSOS, CADA UMA DAS SUAS LETRAS_!!!...........

_DEIXO-VOS, COM "UM PEDACITO", DO QUE FOI A *SUA ALMA DOLORIDA*, CHEGANDO ATE' NOS, EM VERSOS SUBLIMES!!!......
.............................

_UM ABRACO MEUS AMIGOS_!

_Perdoem-me, Aqueles, que nao se "Encantam", assim tanto,COM O *CANTO BELO E MELANCOLICO*, DESTA *DIVA DA PENA*!!!.....................

_VOSSA, Heloisa.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


***FLORBELA ESPANCA***
*****************************

*AMIGA*

____________________



Deixa-me ser a tua amiga, Amor,

A tua amiga só, já que não queres

Que pelo teu amor seja a melhor

A mais triste de todas as mulheres.




Que só, de ti, me venha magoa e dor

O que me importa a mim? O que quiseres

É sempre um sonho bom! Seja o que for,

Bendito sejas tu por mo dizeres!




Beija-me as mãos, Amor, devagarinho...

Como se os dois nascessemos irmãos,

Aves cantando, ao sol, no mesmo ninho...




Beija-mas bem!... Que fantasia louca

Guardar assim, fechados, nestas mãos,

Os beijos que sonhei pra minha boca!...



* * * * * * * * * * * * * * * * * * * *


*SER POETA*
____________________



Ser poeta é ser mais alto, é ser maior

Do que os homens! Morder como quem beija!

É ser mendigo e dar como quem seja

Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!



É ter de mil desejos o esplendor

E não saber sequer que se deseja!

É ter cá dentro um astro que flameja,

É ter garras e asas de condor!



É ter fome, é ter sede de Infinito!

Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...

é condensar o mundo num só grito!



E é amar-te, assim, perdidamente...

É seres alma, e sangue, e vida em mim

E dizê-lo cantando a toda a gente!



* * * * * * * * * * * * * * * * * * * *


***EU***
*******************




Eu sou a que no mundo anda perdida,

Eu sou a que na vida não tem norte,

Sou a irmã do Sonho,e desta sorte

Sou a crucificada ... a dolorida ...



Sombra de névoa tênue e esvaecida,

E que o destino amargo, triste e forte,

Impele brutalmente para a morte!

Alma de luto sempre incompreendida!...



Sou aquela que passa e ninguém vê...

Sou a que chamam triste sem o ser...

Sou a que chora sem saber porquê...



Sou talvez a visão que Alguém sonhou,

Alguém que veio ao mundo pra me ver,

E que nunca na vida me encontrou!



* * * * * * * * * * * * * * * * * * * *


*HORAS RUBRAS*
__________________________



Horas profundas,lentas e caladas

Feitas de beijos sensuais e ardentes,

De noites de volúpia, noites quentes

Onde há risos de virgens desmaiadas…



Ouço as olaias rindo desgrenhadas…

Tombam astros em fogo, astros dementes.

E do luar os beijos languescentes

São pedaços de prata p’las estradas…



Os meus lábios são brancos como lagos…

Os meus braços são leves como afagos,

Vestiu-os o luar de sedas puras…



Sou chama e neve branca misteriosa…

E sou talvez, na noite voluptuosa,

Ó meu Poeta, o beijo que procuras!


**************************************


*VAIDADE*
_______________________


Sonho que sou a Poetisa eleita,

Aquela que diz tudo e tudo sabe,

Que tem a inspiração pura e perfeita,

Que reúne num verso a imensidade !



Sonho que um verso meu tem claridade

Para encher todo o mundo ! E que deleita

Mesmo aqueles que morrem de saudade !

Mesmo os de alma profunda e insatisfeita !



Sonho que sou Alguém cá neste mundo ...

Aquela de saber vasto e profundo,

Aos pés de quem a Terra anda curvada !



E quando mais no céu eu vou sonhando,

E quando mais no alto ando voando,

Acordo do meu sonho ... E não sou nada! ...



* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *
*******************************************
*****************************
EU, como *TU*,
AMIGA DO ALEM,
Sinto que sou TUDO
E, nao sou NINGUEM!!!

Acordo, em plena madrugada,
Despida p'lo SONHO,
E, olho...procuro,
E, nao sou NADA!

Eu, como *TU*,Amiga do ALEM,
Rio, Choro, Espero
E,respondo a Vida, com Desdem!...

"Nao pedi aos Ceus, com a humildade
piedosa, que se exige a uma crente;
E, minha "VA Vaidade", e',entao, castigada duramente!
............................................
............................................
E... "AMAR AMAR
ASSIM PERDIDAMENTE"...
E', MINHA SEVERA PUNICAO,
ETERNAMENTE!!!!!!!!!!!!!!!!!
******************************Perdoa, *AMIGA DO ALEM*,
Este meu pobre versejar,
Junto do teu, *ETERNO
E MISTICO CANTAR*!!!!!!...........

_PERDOEM-ME, TAMBEM, OS PACIENTES AMIGOS MEUS.
E...PORVENTURA,
APAIXONADOS,
DA *POESIA PURA*,
ESTE MEU DIVAGAR:
_"PARENTE PROXIMO"
DA LOUCURA_!!!....................
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~Heloisa.
-------------------------------------------
*******************************************














Escrito por Heloísa às 11:32:00 da tarde.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home